4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador Baleia Azul. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Baleia Azul. Mostrar todas as postagens

19 de abr de 2017

Esse mundo ainda tem jeito - Conheça os Desafios da Baleia Rosa, contraponto à Baleia Azul


Conheça os Desafios da Baleia Rosa, contraponto à Baleia Azul


desafios da baleia rosa
Em resposta ao jogo Baleia Azul, que desafia jovens a fazerem coisas que o levarão a morte, uma página no Facebook propõe 50 desafios da baleia rosa para valorização da vida. A página Baleia Rosa, criada no último dia 13, já conta com mais de 80 mil curtidas.
Os desafios da Baleia Rosa são do bem, e visam melhorar a qualidade de vida das pessoas: “escreva na pele de alguém o quanto você a ama”, “poste uma foto usando a roupa que te faz sentir bem” e “faça carinho em alguém”.
E esta corrente do bem que os desafios da baleia rosa está propondo dão certo, os jogadores tiram fotos e postam nos comentários para provar que cumpriram as missões.
Os administradores entraram em contato com uma psicóloga para ajudar a responder os casos mais sérios. Eles também enviam o número do Centro de Valorização da Vida (CVV) para quem está buscando ajuda.
“Eu fiquei muito impressionada quando soube dos desafios da baleia rosa. Eu e um amigo decidimos então criar essas atividades que fossem positivas, que ajudassem na autoestima das pessoas. A gente queria incentivar as pessoas a fazerem bem para outras”, disse a idealizadora dos desafios da Baleia Rosa, uma publicitária de 30 anos que prefere se manter anônima.
— Estamos alertando as crianças para não entrarem nesses tipos de grupo, é muito perigoso. Também estamos procurando um caminho profissional porque estamos falando com pessoas que estão passando por situações muito difíceis e queremos arrumar uma forma de ajudar. O nosso pensamento é continuar recebendo mensagens e ajudando como der.
— A gente quer espalhar cada vez mais, o resultado já foi tão positivo. A nossa ideia é continuar espalhando o bem e mensagens positivas.

Desafios da Baleia Rosa

O jogo terá 50 desafios da baleia rosa, um por dia, e na data deste post, o último desafio era o de número 23. Confira abaixo os desafios da baleia rosa já lançados:
s:
  1. Com uma canetinha, escreva na pele de alguém o quanto você o ama;
  2. Desenhe com uma canetinha uma baleia rosa com uma frase ou palavra motivadora e poste em suas redes sociais;
  3. Se você está pronto para a próxima fase, escreva sim nos comentários. Se não, vá até o espelho mais próximo e elogie-se por 5 minutos;
  4. Converse com alguém que você não fala á muito tempo;
  5. Escreva na sua timeline ou poste uma foto com a frase “Eu sou linda(o)” #BaleiaRosa;
  6. Pense na situação que te deixou mais feliz na sua vida. Pensou? Agora aproveite essa lembrança;
  7. Desenhe com canetinha o seu sonho, o que parecer mais impossível. Agora faça de tudo para realizá-lo;
  8. Desenhar uma Baleia Rosa numa batalha de travesseiros e poste na sua timeline;
  9. Poste uma foto usando a roupa que te faz sentir bem;
  10. Crie uma playlist que te deixa animado e troque com seus amigos;
  11. Use as mãos para fazer carinho em alguém;
  12. Faça algo generoso, faça alguém sorrir;
  13. Escreva a maior quantidade de “Baleia Rosa” em 22 segundos, não vale trapacear;
  14. Escreva a maior quantidade de “Baleia Rosa” ao contrário, em 22 segundos;
  15. Faça um novo amigo;
  16. Agora é hora de você nos ajudar. Repasse esse jogo para mais 3 pessoas;
  17. Missão secreta. Se você chegou até aqui, nos envie um inbox no Facebook e seu mentor irá lhe enviar a sua missão;
  18. Poste e fale em vários momentos do dia “Baleia Rosa” mas não explique o porquê até as 16h20 de amanhã;
  19. Aproveite esse momento e ligue para seus avós. Eles vão adorar a surpresa;
  20. Passe um dia sem usar palavras negativas;
  21. Peça desculpas ou perdoe alguém. Desbloquear aquele amigo das redes sociais também vale;
  22. Escreva uma carta para você do futuro e guarde, só abra daqui 10 anos;
  23. Olhe no espelho e agradeça por tudo que você tem na vida;
Então, o que achou dos desafios da Baleia Rosa? Conte para a gente nos comentários.

Como evitar que seu filho entre no pacto da Baleia Azul


Como evitar que seu filho entre no pacto da Baleia Azul


Ele teve início na Rússia e foi responsável por diversos suicídios naquele país, agora este jogo macabro chegou ao Brasil e pode ter feito pelo menos 3 vítimas de Estados diferentes. Sim estamos falando do desafio da Baleia Azul, ou pacto da Baleia Azul como alguns estão se referindo ao jogo macabro.
O pacto da Baleia Azul consiste em um ”jogo” onde desafios como desenhar uma baleia azul com gilete na pele, fazer fotos assistindo filmes de terror são feitos pelos líderes (curadores). No total são 50 desafios, sendo o último, o suicídio.
Leia também:

Pacto da Baleia Azul: Ao menos 3 vítimas já foram feitas no Brasil por conta do jogo macabro

Confira abaixo algumas formas de prevenir que seu filho participe deste pacto da Baleia Azul, segundo a doutora em psicologia escolar e docente no Instituto Singularidade, Elizabeth dos Reis Sanada em entrevista ao site de Notícias G1:

Mudança de Comportamento

Quando a criança ou adolescente muda seu comportamento de forma brusca, pode ser que esteja sofrendo com alguma coisa que não sabe como lidar, disse Elizabeth.
“Isolamento, mudança no apetite, o fato de o adolescente passar muito tempo fechado no quarto ou usar roupas para se esquivar de mostrar o corpo são pistas de que sofre algo que não consegue falar”, diz.

Se interesse mais pela rotina do seu filho(a)

Quando os pais são omissos à rotina dos filhos, fica muito difícil entender o que se passa na vida da criança ou adolescente. E não apenas por causa do jogo da baleia azul, mas é sempre bom ficar por dentro de tudo que seu filho faz durante o dia.
“Os pais devem conhecer a rotina dos filhos, entender o que fazem, conhecer os amigos”, afirma a Elizabeth. Ela diz que muitos adolescentes “falam” abertamente sobre a falta de motivação de viver nas redes sociais. OS pais devem incentivar que os filhos tenham projetos para o futuro.

Sempre fique aberto ao diálogo

“É preciso que o adolescente se sinta à vontade para falar de suas frustrações e se sinta apoiado. Se ele tiver um espaço para dividir suas angústias e for escutado, tem um fator de proteção”. Segundo a psicóloga coordenadora do instituto de psicologia do Hospital Pequeno Príncipe, Angela Bley, normalmente adolescentes que possuem a autoestima muito baixa, e que não possui um vínculo forte com a família, sempre fica mais propenso a cair nesse tipo de armadilha.
“O que tem diálogo em casa, não é criticado o tempo todo, tem autoestima melhor, tem risco menor. Deixe que ele fale sobre o jogo, o que sente, é um momento de diálogo entre a família. Por isso é importante o diálogo franco. Não pode fingir que esse tipo de coisa não existe porque ele sabe que existe.”

Adolescentes precisam de aliados

É muito importante que a criança ou adolescente busque alguém em quem confia para compartilhar seus sentimentos. “Que ele não ceda às ameaças de quem já está em contato com o jogo e entenda que quem está a frente deles são manipuladores”, diz Elizabeth.
O adolescente precisa buscar as pessoas em que confia para compartilhar seus anseios, seja no ambiente escolar ou familiar, segundo as especialistas.

As Escolas podem ajudar em campanhas pela vida

Não são apenas os pais que devem identificar possíveis problemas com o adolescente, mas as escolas também podem ajudar na identificação de possíveis situações de risco com os alunos.
 “Não é qualquer criança que vai responder ao chamado de um jogo como esse, são os que têm situações de vulnerabilidade. A escola ajuda a construir laços e tem papel fundamental de perceber como os alunos se desenvolvem”, afirma Elizabeth.
Gostou do artigo? Então que tal seguir o nosso Twitter e curtir a nossa página no Facebook para você continuar acompanhando todos os nossos posts sobre tecnologia em geral, diariamente, em suas redes sociais.
Via Arena 4G

O que é o Baleia Azul?

'Baleia Azul é uma forma de banalizar a violência', diz especialista

Pesquisador da área de dependências tecnológicas alerta que atividades como Baleia Azul não deveriam ser consideradas um jogo
Publicado em 18/04/2017, às 12h58
Para psicólogo, a intenção do ‘jogo’ Baleia Azul é estimular algo problemático / Tato Rocha/JC Imagem

Para psicólogo, a intenção do ‘jogo’ Baleia Azul é estimular algo problemático
Tato Rocha/JC Imagem
Da Editoria de Cidades

Atividade praticada em comunidades fechadas nas redes sociais, Baleia Azul (que ficou popularmente conhecida como um jogo) leva a polícia a investigar essa prática, que pode estimular a automutilação e provocar comportamentos suicidas, especialmente entre adolescentes. O psicólogo Igor Lins Lemos, pesquisador da área de dependências tecnológicas, destaca que atividades virtuais desse tipo deveriam ser censuradas. “Para quem tem algum tipo de transtorno mental, isso é um campo aberto para ocorrência de problemas. Baleia Azul é uma forma de se banalizar a violência”, alerta Igor, que é mestre e doutor em Neuropsiquiatria e Ciências do Comportamento pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Leia Também

O especialista reforça que esse tipo de prática não deve ser caracterizada como jogo. “É incorreto a forma de denominar esse tipo de estratégia sádica que colocaram na internet. Jogo é tudo aquilo que tem um caráter lúdico, de entretenimento, de conquistas. E mesmo esse tipo de atividade, que se apresenta com um tipo de passo a passo do que deve ser feito em níveis, pode ser tudo, menos um jogo”, explica o psicólogo.


Apesar de não ter acessado o Baleia Azul, o psicólogo tem se preocupado com estratégias que levam pessoas, especialmente aquelas emocionalmente mais vulneráveis por apresentarem algum transtorno psiquiátrico, a praticarem autolesões. Para esse grupo de pacientes, atividades desse tipo podem influenciar a ocorrência de comportamento suicida. “A intenção do ‘jogo’ é estimular algo problemático, quase como um tipo de desafio para quem está seguindo as regras. E como as pessoas são estimuladas a fazer algo mais difícil, elas se sentem pertencentes a um grupo. Para quem tem grande dificuldade na relação interpessoal e não tem rede de apoio, a internet é um ‘local’ susceptível a tragédias”, alerta Igor Lins Lemos.



PREVENÇÃO


Como forma preventiva, o especialista sugere que a família converse sempre com as crianças e os adolescentes. “Indico o controle parental (uso de programas ou vigilância para monitorar e seguir as atividades online nessa faixa etária) para que os pais tenham ideia do que os filhos visualizam e fazem na internet, além de ter acesso ao histórico (de pesquisas feitas na web). É preciso também conversar sobre o assunto.”
O depoimento do psicólogo reforça o alerta da Polícia Federal, que orienta a importância de os pais atraírem a confiança dos filhos através do diálogo franco e aberto sem repressão, a fim de que a criança ou o adolescente possa, diante do primeiro sinal de perigo, sentir-se à vontade e procurar a ajuda da família, confidenciando possíveis problemas. A polícia ainda reforça que os pais devem ficar atentos a comportamento estranhos dos filhos, como isolamento, tristeza e quadros depressivos.

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!