4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador cotidiano. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cotidiano. Mostrar todas as postagens

9 de mai de 2017

Qual a diferença (desconheço o autor, mas uma análise excelente)

A Diferença entre as Nações Pobres e Ricas não é a Idade da Nação.

Isto pode ser demonstrado por países como *Índia e JB Egito,* que têm mais de 2000 anos e *são países pobres* ainda.

Por outro lado, *Canadá, Austrália e Nova Zelândia,* que há 150 anos atrás *eram insignificantes,* hoje são países desenvolvidos e *ricos.*

A diferença entre a *nação pobre e rica não depende também dos recursos naturais disponíveis.*

*Japão* tem um território *limitado*, 80% montanhoso, inadequado para a agricultura ou agropecuária, mas *é a segunda economia do mundo.* O país é como uma imensa fábrica flutuante, *importando matéria-prima de todo o mundo e exportando produtos manufaturados.*

Segundo exemplo é *a Suíça,* onde *não cresce cacau* mas produz os *melhores chocolates do mundo.* Em seu pequeno território ela cuida de suas vacas e *cultiva a terra apenas por quatro meses ao ano,* não obstante, *fabrica os melhores produtos de leite.* Um *pequeno país* que é uma imagem de segurança que *tornou-se o banco mais forte do mundo.*

*Executivos* de países ricos que *interagem* com seus homólogos dos países pobres não mostram nenhuma diferença intelectual significativa.

Os *fatores raciais* ou de cor, também, *não têm importância:* imigrantes fortemente *preguiçosos* em seus países de origem, *são altamente produtivos em países ricos* da Europa.

*Então, qual é a diferença?*

A *diferença é a atitude das pessoas, moldadas durante muitos anos pela educação e cultura.*
Quando analisamos o comportamento das pessoas dos países ricos e desenvolvidos, observa-se que *uma maioria respeita os seguintes princípios de vida:*
1. Ética, como princípio básico.
2. Integridade.
3. Responsabilidade.
4. O respeito pela legislação e regulamentação.
5. O respeito da maioria dos cidadãos pelo direito.
6. O amor ao trabalho.
7. O esforço para poupar e investir.
8. A vontade de ser produtivo.
9. A pontualidade.

Nos países pobres, uma pequena minoria segue esses princípios básicos em sua vida diária.

Não somos pobres porque nos falta recursos naturais ou porque a natureza foi cruel conosco.

*Somos pobres porque nos falta atitude.* Falta-nos vontade de seguir e ensinar esses princípios de funcionamento das sociedades ricas e desenvolvidas.

ESTAMOS NESTE ESTADO PORQUE *QUEREMOS LEVAR VANTAGEM SOBRE TUDO E TODOS.*

ESTAMOS NESTE ESTADO PORQUE VEMOS ALGO FEITO DE FORMA ERRADA E DIZEMOS - *"Não é meu problema"*
DEVERÍAMOS LER MAIS  E AGIR MAIS!

SÓ ENTÃO SEREMOS CAPAZES DE MUDAR NOSSO ESTADO PRESENTE.

Se você não encaminhar esta mensagem nada vai acontecer com você.
Seu animal premiado não vai morrer, você não vai ser demitido de seu emprego, não vai ter azar por sete anos, nem vai ficar doente.

Mas, *se você ama seu PAÍS* tente fazer circular esta mensagem para que o máximo número de pessoas possível, *reflita sobre isso.*

5 de fev de 2009

Infância e Paz - 1ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz

Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz




No Brasil desconhecemos muitas vezes as boas oportunidades que o Senado e o Governo Federal oferecem à cultura brasileira. esta semana por exemplo, está acontecendo a 1ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz. Confira os detalhes dessa discussão imprescindível para o crescimento, valorização e humanização das novas gerações de brasileiros.

Confiram a página e assista a programação completa por vídeo em:
Infância e
Paz - 1ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz


A paz que queremos devemos contruí-la juntos,à cada dia, em todo lugar!

Abraços

Semíramis

22 de set de 2008

Indicação ao Prêmio Dardos - Nunca é tarde!!!


Queridos Leitores desse blog
O Educando o Amanhã recebeu da boa amiga Cybele Meyer a indicação do Prêmio Dardos, uma iniciativa da comunidade blogger para divulgar o trabalho de outros colegas que desempenham um excelente e comprometido trabalho na blogosfera. Lancei uma primeira lista no Ne quid nimis, onde fui agraciada pelos votos dos amigos Luis Z Dhein e Jenny Horta. Obrigada amigos, o trabalho que vocês apresentam é fonte de inspiração para prosseguir com minhas reflexões!!

1- Blogosfera Marly - da Profª Marly Fiorentin - Vencedora do Prêmio Educadores Inovadores da Microsoft, um dos melhores blogs de educação!!

2- Carbono 14: Do Profº Daniel Giandoso - Entrou aqui entrou para a história!!!

3- Educultirsão, Educação, Cultura e diversão, do Prof. Marco Aurélio - é muita diversão!!!

4- Sobre educação - da Profª Elis - excelente reflexões!!

5- Control e Verso - José Roig, educação, arte e cultura num só lugar!!

6-Suzana Gutierrez: Da Profª Suzana. Reflexões sobre educação, belos lugares, idéias sobre a blogosfera

7- Livro Animado, Livro Encantado - da profª Bete, tudo sobre a arte de educar e encantar com marionetes!!

8- Na dança das palavras - da profª Leonor Cordeiro - a cada visita uma verdadeira aula de literatura!!!

9- Pensando a Educação - Da profª Cristina - blog objetivo, claro e bem elaborado.

10- Te dou um dado? - deliciosamente cômico e bem-humorado!!!

11- Pharis faces - blog do Geraldo, com muitas curiosidades sobre televisão!

12- Medicina Sem Segredo - Blog do médico Eduardo Sayeg sobre doenças raras na medicina, blog de grande importância!!

14- Stres´s Net - Blog sobre saúde e bem estar!!!

15- Fotos e Letras - descobri este blog essa semana e gostei muito das fotos. Fantástico. Valeu pela pesquisa!!!

16 de ago de 2008

Educar para a vida

Quem ama educa - para a vida. Nós, pais e professores temos por vezes a pretensão de que educar é formatar o indivíduo ao nosso bel prazer e principalmente para nós mesmos. Jamais pensamos na educação para o próprio sujeito da aprendizagem, os tolimos em sua criatividade, sem os apresentarmos opções ou escolhas dignas de seu próprio gosto pessoal.

Como faz parte do processo social a confrontação de opiniões e os conflitos de gerações, nada mais justo. Porém, o que fazer com a questão do "socializar"?

Frequentemente, os pais recorrem aos especilistas para sanar suas dúvidas à respeito do comportamento introvertido dos filhos, das rixas e desavenças entre colegas e do problema da liderança (até os alunos mais populares e os mais intelectuais já tiveram esse tipo de problema). Não há nada de mal nisso, a não ser que o problema persista ou se agrave. Nessas horas, procuro apelar para o remédio caseiro mais eficaz que já foi criado: a conversa.

Insito na conversa, pois, nos tempos atuais, onde predominam os video games, sites de relacionamento, msns, BBBs entre outra babás eletrônicas, pais e filhos, que teoricamente teriam tanto para conversar, são tomados por um mutismo inexplicável.

Desde os tempos primitivos, quando a gente era primata, com todos o "uhuhs" e grunhidos próprios, a comunicação era fator de desenvolvimento e sobrevivência. Qual a comunicação que temos com nossos filhos hoje? O processo de socialização é procedente do grau de relacionamento que temos com nossos filhos. A criança será mais ou menos extrovertida, será mais ou menos propensa à leitura, aos esportes, aos estudos ou á qualquer coisa de acordo com o exemplo e grau de aceitação de suas famílias.

Baseando que, em essência, toda criança, queiramos ou não, aprende pelo exemplo, elas irão tomar pra si costumes, filosofias de vida, trejeitos, vícios de linguagem, gírias, sotaques ou expressões com as quais conviverem mais. Daí a crença de que tão logo as crianças estejam na escola, o problema cultural estará resolvido. Mas será que está mesmo? pense que na escola há milhares de crianças para alguns professores passar-lhes algumas noções durante 4 ou 5 horas que lá estejam.

Na maior parte do tempo, os alunos ficam em contato direto com seus semelhantes, ora estudando, ora se divertindo, ora fazendo ambos (quem nunca brincou na sala de aula atire a primeira pedra!!!)O que esperar da criança que retorna à casa, não encontra seus pais (ou similares) para trocar idéias sobre o que foi seu dia? Muitas vezes, a troca sadia de informações sobre a vida pela família vale mais do que muitas aulas enfadonhas ou mesmo uma estrassante ou chata troca de e-mails vazios.

É certo que não devemos moldar a criança ao nosso desejo, podando-lhes os sonhos, mas é essencial corrigir-lhes o pensamento com brandura para aspectos que a vida costuma nos ensinar desde pequenos, para que não soframos constrangimentos maiores enquanto adultos, eis o papel da família: o de educar para a vida. Esse ato só pode ser desempenhado no convívio diário, na troca de informações, sensações, olhares... ainda me lembro do olhar de reprovação de meu pai quando eu deixava comida no prato, sob o pretexto de que não gostava disso ou daquilo. Pode parecer bobagem, entretanto a expressão no olhar, o calor da mão e o tom de voz facilitam bastante o processo de convivência e isso a criança e o adolescente passam para o seu cotidiano. É como os antigos já diziam: os modos de casa vão à rua.

Regras simples para uma vida feliz, as receitas são mais simples ainda: Uma mesa de jantar, um assunto animado, sobre seu dia de trabalho, uma manchete no telejornal ou um comentário sobre as matérias na escola, consistem em diferentes formas de aprendizado. Deixe a criança se expressar, pondere seus posicionamentos, reflita sobre seus motivos e explique com objetividade e exatidão, sempre levando em conta o respeito e a sinceridade. É nesses momentos de união e debates em família que são propícios para se corrigir, ampliar e trocar o conhecimento. Uma maneira de se conhecer melhor àqueles que geramos, que não educamos para nós, mas educamos para a vida.

12 de ago de 2008

Professora entusiasmada procura...

Professora entusiasmada procura vaga em instituíção escolar, pública ou privada, que possa acolhê-la, dentro de suas competências e habilidades, ao cargo de docente.

Esta profissional de ensino cumpriu todos os pré-requisitos necessários para desempenhar sua função, de acordo com as normas vigentes da LDB 9394/96. Tem graduação e pós-graduação Lato sensu, fala inglês fluentemente, domina técnicas de ensino integradas às novas tecnologias da educação, sempre que possível participa de congressos, seminários e simpósios e pretende continuar investindo em sua formação acadêmica ao ingressar no stricto sensu, sem no entanto, se esquivar dos objetivos primeiros de sua função.


A referida profissional aprecia trabalhar em equipe, conhece e busca sanar as necessidades educativas e sociais das instituíções em que costuma atuar. É uma pessoa flexível, um pouco rígida quanto ás questões de disciplina, porém se mostra uma pessoa que prima pelo diálogo igualitário entre professores e alunos e concebe uma educação dialógica e transformadora, que possa reelaborar o conhecimento, não somente do aluno, mas ajudar a ampliar os saberes didáticos dos colegas professores.

A profissional afirma que tem disponibilidade de tempo e se dispõe a trabalhar com dedicação às causas educacionais para quaisquer série as quais seja indicada. A mesma não se importa com os baixos salários, pois compreende que a vocação docente é um voto de pobreza sacerdotal e que o papel de quem escolhe ser professor é o de amar e respeitar o ato docente como forma de fomento aos discentes, não importando o quão rebeldes ou desinteressados estes sejam, o papel do professor é aprimorar sua prática para perpetuar e tornar prósperas outras carreiras.



-----------------------------------------------------------------------------


A quem interessar possa, deve-se salientar que este tipo de profissional está escasso no mercado, posto que as escolas hoje, estão dominadas por profissionais medíocres ou mesmo bons profissionais desviados de função, atendentes aos desmandos de seus superiores, na base do jeitinho brasileiro, do encaixe, do burlamento das leis e no acobertamento de ações desastrosas.

O profissional de educação hoje é muito próximo à um mendigo educado que, com o seu precioso currículo na mão, eruditamente pede a esmola de uma vaga para lecionar sendo achincalhado e esnobado por companheiros que deveriam se unir em prol de uma educação de qualidade e de respeito pelo futuro do País.

Ad astra per aspera... (Às estrelas pelos caminhos mais àsperos)

Semíramis

17 de jun de 2008

EducaCamp - As discussões já começaram!!!!


Oi, Gente!!!


Gostaram do nosso logo? Graças ao Nick Ellis, do Digital Drops (votado pela Cybele e pela Ceila), foi eleita a versão do lápis. O jpeg já está aí para a gente fazer uma grande corrente pró-educação. (gentilmente postado pela Lúcia Freitas)


As discussões no EducaCamp já começaram!! estamos aquecendo as turbinas desse encontro de blogueiros da Educação com temas marcantes para nossas desconferências. Confiram o que já apareceu de idéia boa através dos comentários postados no site do próprio EducaCamp :


Cybele: O uso das TICs como ferramenta de aprendizagem e o seu uso no cotidiano da sala de aula.


Aracnus (nosso colega Fred): - Wiki como ferramenta para projetos colaborativos e Uso educacional de recursos gratuitos da Web.



Lilian Starobinas:
Tecnologias: o que esperam os alunos?


Semíramis - a redatora que vos fala - também tem dois temas:1) O papel do novo professor no contexto das tecnologias de informação - como propôr atividades integradas às demais disciplinas e 2) Como acrescentar cultura e informação ao cotidiano dos educandos, de forma a integrá-lo às tecnologias sem perder de foco a aquisição do conhecimento.


Barbara Dieu (Bee) tem duas propostas: levantamento dos problemas/dificuldades mais comuns encontrados quando usamos TICs em sala de aula e sugestões de como resolvê-los. Outro assunto seria o desenvolvimento profissional continuado usando as novas tecnologias.


Jenny Horta: uso de recursos 2.0 na educação (não dependem de SO, apenas de conexão)


Sérgio F Lima: Como as TICs podem contribuir para a “reinvenção do cotidiano escolar”?


Wolney: blog e formação de professores


Suzana Gutierrez: Penso que seria um bom tema refletir sobre a cultura que as tecnologias constroem (que é parte da cultura maior onde estamos inseridos e não uma dimensão separada) e suas implicações para o trabalho dos professores e para a educação de um modo geral.


Caso alguém deseje participar desse encontro, faça a inscrição clicando aqui . Comentem dando suas opiniões e suas colaborações também!!!!


Ah, antes que eu me esqueça confira o meu blog pessoal, com dicas de eventos e atualidades - o Ne quid nimis... ! A gente se vê no EducaCamp!!!!

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!