4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador crônica. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador crônica. Mostrar todas as postagens

11 de fev de 2012

A culpa é do Marx

A Culpa é do Marx 


A pessoa chega em frente ao caixa eletrônico precisando sacar o pagamento do salário da empregada porque esqueceu de fazer durante o dia e nem o boy nem a secretaria nem a mulher lembraram - aí ele descobre que não pode sacar mais do que aquele valor porque o limite diário (pequeno, por segurança) vai estourar. 

Faz tudo usualmente como há 15 anos sempre faz (todo dia ela faz tudo sempre igual...)

A máquina do Banco do Brasiiiiiiil registra a senha, os valores, as tais letras que fazem ele repetir uma outra pequena "canção" inventada pra não esquecer a tal combinação, a máquina fica dizendo "checando dispensador de notas" e... nada. Ela volta à tela inicial dizendo obrigado. O celular avisa que o dinheiro foi sacado. O extrato da conta informa que o dinheiro foi sacado. Olha prum lado, ninguém. Pro outro, vazio. Um telefone? Nenhum. Olha na máquina...o dinheiro está ali, preso na porta de saída!

Mas a porta da máquina não abre!

Alguém se aproxima...por favor...meu dinheiro tá preso aqui, não pode mexer no caixa agora...o cara tá nervoso...mas eu vou sacar o meu!...eu sei, mas é que aquele ali é meu... seu nada! é da máquina.

Ele mostra o celular...discute com o desconhecido que aceita finalmente ir sacar noutro lugar.

Depois de muito pesquisar, ele descobre um número quase apagado do lado do caixa. Liga. é um tal de SAC 24 horas do Banco. Fica 15 minutos ouvindo chopin mal tocado. A atendente coloca o sanduíche do lado e fala em que posso ajudá-lo? demonstrando que as aulas de português não foram frequentadas...o cara explica tudo...ela diz vou estar fazendo a ocorrência...e se a equipe confirmar (equipe?? que equipe? não tem ninguém aqui...alguém vai chegar e sacar meu dinheiro que tá preso!) O cara ameaça dormir na frente da máquina até a equipe aparecer no dia seguinte.

Ainda... a empregada não vai deixar ele voltar pra casa sem lhe desejar o inferno porque tá sem dinheiro.

Atendente! Eu quero o meu dinheiro agora... senhôr...não podemos fazer nada agora (a não ser voltar pro Brás, né???)... o seu dinheiro vai estar sendo devolvido em até 10 dias úteis! O que??? com esse tempo eu comprava o pré-sal do Eike de rendimentos!

Não podemos fazerrr nada, senhôr, o registro tá feito, agora é esperar... desliga o telefone.

Uma senhora se aproxima. Cansado...deixa pra lá...deixa ela pegar o dinheiro da empregada...a senhora coloca o cartão na máquina e... a máquina pifa! apaga! morre!

Eu começo a rir. Desbragadamente. Descontroladamente. Um cara com jeito de Murphy passa do outro lado e fica me olhando.

A Mulher me fala algum impropério. E vai embora.

Ainda pego o celular, uso como "lanterna" (que grande invenção!) e vejo meu suado dinheirinho ali, preso, me olhando com jeito de "puxa...não consegui..."

Aceito o destino. Vou voltar pra casa. Dar um cheque sem fundo pra empregada...E botar a culpa em Marx e Engels, que é por causa deles que o mundo capitalista venceu...
 

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!