Mostrando postagens com marcador educação humanitária. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador educação humanitária. Mostrar todas as postagens

17 de abr de 2012

Johann Heinrich Pestalozzi

Como Pestalozzi amava as crianças...

(...) escreveu desse tempo feliz da sua vida:

"A minha mão estreitava-a na desses moços, os meus olhos liam nos deles, aos seus risos os meus faziam eco. Eu existia só para eles, para mim só eles existiam. Comia-se a mesma sopa, bebia-se na mesma fonte. Eu não tinha ninguém: Sozinho, sem amigos nem criados; só os tinha a eles; era o ultimo a ir para a cama, o primeiro a levantar-se. E já deitado tinha que rezar com eles e responder tinha que rezar com eles e responder às suas perguntas enquanto não adormeciam; eles assim o queria".

A ação de Pestalozzi, a sua vida toda de bondade e abnegação, teve conseqüência muitíssimo benéficas para as gerações que vieram depois.

O espírito verdadeiramente de eleição de educador tão paciente e amorável revive em cada escola nova que se vai fundando, tornando cada qual mais vasta, mais bela, mais rica do que as anteriores, e nela as criancinhas, mesmo as pequeninas, e as mais pobrezinhas, encontram um acolhimento tão carinhoso que por certo faria chorar de ternura o bom Pestalozzi, se o pudesse presenciar.

[Johann Heinrich Pestalozzi]

Fonte: Livro "Tesouro da Juventude" vol.7, pág. 81, 1955.

¤¤¤¤

"A pesquisadora Dora Incontri vê na obra dos filósofos da educação anteriores ao século 19 uma concepção do ser humano "mais integral" do que a que passou a prevalecer então. Segundo Dora, naquela época a ciência, incluindo a pedagogia, se tornou materialista. "Pensadores como Pestalozzi levavam em conta aspectos hoje negligenciados, como o espiritual". Ela lamenta a ausência dessa dimensão. No seu dia-a-dia na escola ou em seus estudos sobre educação, você já sentiu a sensação de que falta algo à teoria pedagógica? Chegou a pensar que carência é essa? De que forma ela se reflete na prática?" Do site http://revistaescola.abril.com.br:


Nota:
Esse texto que transcrevi do Livro "Tesouros da Juventude" de 1955 de uma biblioteca em Mogi das Cruzes-SP, estava cheio de poeira, o que me fez espirrar muito... rsrs. Mas valeu pelo TESOURO encontrado.


Samuel Lima



   

         -- J. Pestallozzi -- Pestallozzi com órfãos em Stans... Imagens que educam. -- 




boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!