4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador mensagem. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador mensagem. Mostrar todas as postagens

30 de dez de 2012

Seja Feliz, Feliz 2013!


Foto: Aos amigos, amigas, alunos, colegas, fãs, com votos de um 2013 de felicidade e paz. 

Se eu pudesse te dar um único conselho hoje, que te valesse para o ano que está chegando, eu diria para você SER FELIZ. Não ser feliz acanhadamente, aceitando as coisas que venham e se contentando com as migalhas de felicidade, mas que que você conquiste seus sonhos. 
Ouse sonhar, porém não se acanhe e corra atrás daquilo que sonhas. Se arrume, se cuide, estude, trabalhe - conheça novas pessoas. Se afaste de pessoas negativas e pessimistas, busque as que transmitam alegria e força de vontade.
 Não se deixe levar pela preguiça - a preguiça espanta os sonhos. Nem se deixe abater pelo que algumas pessoas pensam ou falem de você, para você. A maioria da pessoas não vive, fingem que vive e são tão boas nisso, que nos dá a impressão de que elas estão certas e você não.
Cada um de nós é o responsável pela sua própria felicidade, não a deposite nos outros - esses outros podem ser irmãos, pais, namorados, amigos... Ninguém fará isso por você por mais boa intenção que a pessoa possa ter ( e o inferno ainda está cheio de gente bem intencionada) 
Assuma que você quer algo e segue adiante. Você quer um namorado? ninguém vai chegar em você com um buquê de flores, cheiroso e bem arrumado, qual um príncipe encantado se você não sai de casa (mesmo que você saia de casa, isso anda um bocado difícil...) Se você não se cuida a coisa fica ainda pior... com o tempo o corpo vai perdendo o viço, a graça, os cabelos vão perdendo a cor e você vai perdendo a graça... e como vc consegue? simples, vivendo. A gente vive quando acorda, espreguiça gostosamente pensando no dia maravilhoso que terá, enquanto agradece ao Criador por todas as coisas incríveis que te aconteceram e as que acontecerão, enquanto se arruma para enfrentar o dia. 
Viver plenamente, é viver sem lamurias, buscando ser feliz em primeiro lugar.  Procure buscar beleza em sua vida: para que as coisas boas possam te acontecer você deve buscar as coisas boas primeiro. É uma senha para se viver feliz - se afaste das coisas ruins que te cercam e busque apenas as que te deem prazer - um banho de mar, um passeio de bicicleta, um vôo de asa delta, o brincar com um gato, o cuidado consigo mesma- as pequenas coisas que fazemos no dia a dia são as mais importantes para alcançarmos a felicidade. 
Cante se quiser cantar, dance se gostar de dançar, ria e ria muito, pinte, borde.... o mais importante é ser você - use um chapéu colorido, uma flor no cabelo, arrase no visual ou simplemente ande de havaianas e calça jeans desbotada. As pessoas te amarão do jeito que você for, porém somente se você ousar a ser feliz e tão somente dessa forma... Você é o único responsável por sua felicidade.

Feliz 2013! Feliz!

Semíramis Alencar 
30/12/12Aos amigos, amigas, alunos, colegas, fãs, com votos de um 2013 de felicidade e paz.

Se eu pudesse te dar um único conselho hoje, que te valesse para o ano que está chegando, eu diria para você SER FELIZ. Não ser feliz acanhadamente, aceitando as coisas que venham e se contentando com as migalhas de felicidade, mas que que você conquiste seus sonhos.
Ouse sonhar, porém não se acanhe e corra atrás daquilo que sonhas. Se arrume, se cuide, estude, trabalhe - conheça novas pessoas. Se afaste de pessoas negativas e pessimistas, busque as que transmitam alegria e força de vontade.
Não se deixe levar pela preguiça - a preguiça espanta os sonhos. Nem se deixe abater pelo que algumas pessoas pensam ou falem de você, para você. A maioria da pessoas não vive, fingem que vive e são tão boas nisso, que nos dá a impressão de que elas estão certas e você não.
Cada um de nós é o responsável pela sua própria felicidade, não a deposite nos outros - esses outros podem ser irmãos, pais, namorados, amigos... Ninguém fará isso por você por mais boa intenção que a pessoa possa ter ( e o inferno ainda está cheio de gente bem intencionada)
Assuma que você quer algo e segue adiante. Você quer um namorado? ninguém vai chegar em você com um buquê de flores, cheiroso e bem arrumado, qual um príncipe encantado se você não sai de casa (mesmo que você saia de casa, isso anda um bocado difícil...) Se você não se cuida a coisa fica ainda pior... com o tempo o corpo vai perdendo o viço, a graça, os cabelos vão perdendo a cor e você vai perdendo a graça... e como vc consegue? simples, vivendo. A gente vive quando acorda, espreguiça gostosamente pensando no dia maravilhoso que terá, enquanto agradece ao Criador por todas as coisas incríveis que te aconteceram e as que acontecerão, enquanto se arruma para enfrentar o dia.
Viver plenamente, é viver sem lamurias, buscando ser feliz em primeiro lugar. Procure buscar beleza em sua vida: para que as coisas boas possam te acontecer você deve buscar as coisas boas primeiro. É uma senha para se viver feliz - se afaste das coisas ruins que te cercam e busque apenas as que te deem prazer - um banho de mar, um passeio de bicicleta, um vôo de asa delta, o brincar com um gato, o cuidado consigo mesma- as pequenas coisas que fazemos no dia a dia são as mais importantes para alcançarmos a felicidade.
Cante se quiser cantar, dance se gostar de dançar, ria e ria muito, pinte, borde.... o mais importante é ser você - use um chapéu colorido, uma flor no cabelo, arrase no visual ou simplemente ande de havaianas e calça jeans desbotada. As pessoas te amarão do jeito que você for, porém somente se você ousar a ser feliz e tão somente dessa forma... Você é o único responsável por sua felicidade.

Feliz 2013! Feliz!

Semíramis Alencar
30/12/12

19 de dez de 2012

Natal segundo o Espiritismo

Natal segundo o Espiritismo

Demétrio Pavél Bastos
Retornando o pensamento aos dias de criança, que já se colocam algo distantes, revejo as cenas dos natais que meus queridos pais me ofereceram: o necessário presépio, a árvore com os presentes e o indispensável Papai Noel... Eram expressões de seu amor para comigo; e como se esmeravam para que nenhum colorido faltasse ao mundo de fantasias de minha infância ! A proporção que o peso dos anos me vai vergando os ombros, mais e mais admiro o quanto representaram para mim.
Eles nunca esperavam gestos meus, ou palavras, de reconhecimento, pelo bem que me faziam; a recompensa de quem ama é a felicidade—e não a gratidão - dos entes queridos. Mesmo assim, rudemente intelectualizado, uma espécie de remorso me sobe à garganta, a se expressar nos olhos úmidos. A sabedoria dos pais consiste na paciência da espera de que o fruto-filho amadureça e compreenda, de forma tal que a paternidade termina por ser um prêmio por antecipação que o Pai Maior outorga a cada ser-filho, a exercitá-lo para tarefas de maior envergadura.
Mais tarde, espírita já, meus filhos não conheceram nem o presépio, nem a árvore de Natal, nem o velhinho Noel; só os presentes e as guloseimas persistiram. Em compensação, subiam morro acima comigo, juntamente com a "Mocidade Espírita João de Deus", a distribuir com "os menos afortunados da sorte", como se diz, um pouco do que nos sobrava... Aquela magia que minha infância conheceu, eles não viveram; forjavam-se noutra têmpera, de acordo com os talentos que recebi. Te-los-ei plantado bem ?
E, no escoar dos anos que se sucedem, vou acompanhando, de um lado, a progressiva massificação do conceito de que festejar o Natal é dar presentes (geralmente inúteis), é fazer festas; por outro lado, no seio do Movimento Espírita, a prudente e natural implantação de um Natal à moda espírita, num fatal aprimoramento do que reza a tradição, se vem firmando.
25 de dezembro é um pretexto mais do que bom para se reconciliarem irmãos; para se reexaminarem projetos que visem crescimento espiritual; para se vibrar intensamente a luz do Amor Universal; para se programar um Natal-Permanente.
Exemplifiquem os pais para os filhos que Natal não é dia de se cumprirem obrigações sociais, mas data convencionada para uma tomada de posição, rumo à vivência de 365 dias por ano, dos postulados da Doutrina Espírita e da sabedoria do Evangelho de JESUS !
Ajudemos a se consolidar O NATAL, SEGUNDO O ESPIRITISMO!

link original: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/diversos/natal/natal-segundo-o-espiritismo.html

22 de jul de 2011

Gratidão

Uma linda mensagem para a gente refletir!
Gratidão
O homem, por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída. Uma garotinha se aproximou da loja e apertou o narizinho contra o vidro da vitrine.
Os olhos da cor do céu brilharam quando ela viu determinado objeto.
Entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesas azuis. É para minha irmã. Pode fazer um pacote bem bonito?
O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e lhe perguntou: Quanto dinheiro você tem?
Sem hesitar, ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão e feliz, disse: Isto dá, não dá?
Eram apenas algumas moedas, que ela exibia orgulhosa.
Sabe, eu quero dar este colar azul para a minha irmã mais velha. Desde que morreu nossa mãe, ela cuida da gente e não tem tempo para ela. É seu aniversário e tenho certeza que ela ficará feliz com o colar que é da cor dos olhos dela.
O homem foi para o interior da loja, colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com uma fita verde.
Tome, leve com cuidado.
Ela saiu feliz, saltitando rua abaixo.
Ainda não acabara o dia quando uma linda jovem de cabelos loiros e longos e maravilhosos olhos azuis, adentrou a loja.
Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e perguntou:
Este colar foi comprado aqui?
Sim, senhora.
E quanto custou?
Ah!, falou o homem, o preço de qualquer produto da minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente.
A moça continuou: Mas minha irmã tinha somente algumas moedas. O colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagá-lo!
O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e devolveu à jovem dizendo: Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar. Ela deu tudo o que tinha.
O silêncio encheu a pequena loja, e duas lágrimas rolaram pelas faces jovens, enquanto suas mãos tomavam o embrulho e ela retornava ao lar, emocionada.
*   *   *
Verdadeira doação é dar-se por inteiro, sem restrições. Gratidão de quem ama não coloca limites para os gestos de ternura.
E gratidão é sempre manifestação dos Espíritos que têm riqueza de emoções e altruísmo.
Sê sempre grato, mas não espere pelo reconhecimento de ninguém.
A gratidão é dever que não aquece apenas quem a recebe, mas também reconforta quem a oferece.
 Redação do Momento Espírita com base no texto O colar de turquesas azuis, do livro Remotos cânticos de Belém, de Wallace Leal Rodrigues, ed. O Clarim.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 2, ed. Fep.
Em 14.07.2011.

7 de jul de 2011

A matemática da vida em Fukushima

Vale a pena ler essa lição de vida e abnegação
 A matemática da vida em Fukushima
Há no Japão um grupo de 200 aposentados, em sua maioria engenheiros, que se oferece para substituir trabalhadores mais jovens num perigoso trabalho: a manutenção da usina nuclear de Fukushima, que foi seriamente afetada pelo grande terremoto de três meses atrás. Os reparos envolvem altos níveis de radioatividade cancerígena.

Em entrevista à BBC, o voluntário Yasuteru Yamada, que tem 72 anos e negocia com o reticente governo japonês e a companhia, usa uma lógica tão simples quanto assombrosa.

"Em média, devo viver mais uns 15 anos. Já um câncer vindo da radiação levaria de 20 a 30 anos para surgir. Logo, nós que somos mais velhos temos menos risco de desenvolver câncer", afirma Yamada.

É arrepiante. Na contramão do individualismo atual - e lidando de uma maneira absolutamente realista em relação à vida e à morte -, sexagenários e septuagenários querem dar uma última contribuição: ser úteis em seus últimos anos e permitir que alguns jovens possam chegar às idades deles com saúde e disposição semelhantes.

O que mais impressiona em toda a história é a matemática da vida. A morte não é para eles um problema a ser solucionado - ou talvez corrigido, pela hipótese mística da vida eterna que medicina e biologia tentam encampar e da qual as revistas de boa saúde tentam nos convencer; a morte é, de fato, a constante da equação.

Nada que o mundo ocidental não conheça. O filósofo alemão Georg Friedrich Hegel (1770-1831) certa vez definiu "mestre" como alguém desapegado da vida a ponto de enfrentar a morte, enquanto "servo" seria um escravo do desejo de continuar vivo - e que obedeceria mais às regras que lhe garantissem a sobrevida. Em consequência, o servo anula sua vontade de transformar o mundo e a si mesmo.

Criados numa sociedade de consumo, corremos o risco de levar essa escravidão às últimas, defendendo a boa saúde e os confortos com muito mais afinco do que aquilo que podemos fazer por nós e pelos outros enquanto ainda gozamos dela.

Os senhores do Japão ensinam que a morte é a hora em que podemos continuar a existir na memória das pessoas - uma oportunidade que, para mim, eles não perdem mais.

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!