4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador pais. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pais. Mostrar todas as postagens

10 de mai de 2017

Com cartas motivacionais, pais ajudam a preparar os filhos para o Enem

Com cartas motivacionais, pais ajudam a preparar os filhos para o Enem

Alunos se juntam para selfie com professor em dia de entrega das cartas
Alunos se juntam para selfie com professor em dia de entrega das cartas Foto: Reprodução internet
Força, coragem e determinação. Foram essas as características que Íria Lucia Barbieri Marrafa viu crescer na filha Maria Cllara, 18 anos, ao receber uma carta da mãe dias antes do último Enem. A injeção de confiança foi motivada pela escola onde a jovem estudava, o Colégio Futuro Vip, que sugeriu aos pais que escrevessem uma mensagem de amor e ânimo para os vestibulandos.
- É um momento de dedicação e de empenho deles, mas a gente também fica envolvido em todo o processo. A carta foi uma mistura de frases emotivas e engraçadas, minha filha chorava e ria. Até as amigas pegaram para ler. E como não tínhamos condição de pagar uma faculdade particular, passar no vestibular era importante - conta Íria, que entregou a carta dois dias antes da prova.
Maria Cllara Marrafa com a mãe, Íria
Maria Cllara Marrafa com a mãe, Íria Foto: Reprodução internet
Maria Cllara passou para História, e no próximo semestre começa a estudar na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Vinícius dos Santos, 19 anos, também foi pego de surpresa quando recebeu a carta escrita pela mãe e pelo pai, que faleceu meses depois de ele prestar vestibular para Nutrição.
- Eu sou uma pessoa sensível, estava bastante emocionado naquele momento e precisava de força. Fui para a prova mais tranquilo, mais consciente - lembra o futuro universitário, que resolveu mudar de curso no meio do caminho. Ele se prepara agora para começar a estudar História na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ):
- Meu pai não viu essa vitória, mas eu vou lembrar com muito carinho e responsabilidade da força que ele e minha mãe me deram. Espero concluir a faculdade para dar o meu melhor como profissional.
Alunas se divertem ao receber as cartas dos familiares
Alunas se divertem ao receber as cartas dos familiares Foto: Reprodução internet
Idealizador da ação, Carlos Ferreira, diretor administrativo da unidade Brás de Pina do Colégio Futuro Vip, ainda lidera uma aula relaxante surpresa entre os alunos. Pela manhã, eles são recebidos com café da manhã e uma palestra com o professor com quem têm mais afinidade.
- A gente entende que a família é a raiz. Nunca vemos o conteúdo da carta. Muitas vezes as coisas não são ditas olho no olho, mas pela carta os pais, irmãos e os padrinhos abrem o coração. Isso é um resultado para a vida e não só para o Enem - comemora.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/educacao/vida-de-calouro/com-cartas-motivacionais-pais-ajudam-preparar-os-filhos-para-enem-20979271.html#ixzz4giR5OQIR

26 de mar de 2014

Os sete segredos das crianças super felizes

Nós estamos sempre focados em tudo o que é preciso fazer para nossas crianças se tornarem adultos bem sucedidos. Pensamos muito na trabalheira e no cansaço que dá criar um filho. Mas e a felicidade deles? Estamos também pensando no que faz nossos filhos felizes? Sim, porque a infância deveria ser, sobre todas as outras coisas, o momento de simplesmente ser feliz.
A lista abaixo enumera sete segredos – ao alcance de qualquer pai ou mãe – de crianças felizes.
1. Crianças felizes fazem suas refeições em horários regulares. Parece bobo, não é? Mas tente lembrar de como você mesmo se sente quando tem fome. É assim que os pequenos se sentem quando pulam um lanche ou têm que esperar horas pelos convidados daquele super jantar na sua casa. Ninguém gosta de sentir fome. E comer em intervalos regulares não só reabastece os corpinhos e os cérebros infantis mas mantém a fome sob controle. Afinal, é bem difícil se sentir alegre e tranquilo com a barriga roncando!
2. Crianças felizes dormem bem. Ok, é bem fácil falar… sabemos que existem crianças mais e menos dorminhocas, mas isso não é desculpa para não criar hábitos de sono consistentes. As crianças precisam aprender a dormir e é nosso – às vezes árduo – trabalho ensiná-las. Criança cansada fica irritada e manhosa. Já uma criança com a noite bem dormida está pronta para ver o dia nascer feliz. Faça do sono e dos horários fixos de dormir prioridades absolutas.
3. Elas brincam livremente. Nada de ficar dando instruções na hora da brincadeira, nem de sobrecarregar os pequenos de atividades. Hoje em dia as crianças estão muito ocupadas com cursos e obrigações. Passam o dia inteiro recebendo instruções: escola, natação, música, inglês. Não há tempo para brincar e deixar a imaginação correr solta. Até os próprios brinquedos contém instruções! É bom que as crianças tenham tempo para brincar, só brincar. E que junto com aqueles brinquedos "hi-tech" existam outros que dependam exclusivamente da imaginação deles, como por exemplo, os carrinhos e bloquinhos de madeira.
4. Crianças felizes expressam suas emoções livremente. Elas choram quando estão tristes, gritam quando têm raiva e, às vezes, precisam andar em círculos porque nem sabem direito o que estão sentindo. Deixe elas se expressarem do jeito delas, mesmo que o "show" seja público. Enquanto nós adultos já sabemos mais ou menos o que fazer com determinadas emoções (ligar para um amigo e desabafar, por exemplo), as crianças ainda são mais primitivas neste quesito. Tentar calá-los ou reprimi-los, envergonhando-os pelo comportamento, não ajuda. Deixem que elas liberem as emoções do jeito que bem entendem e então ofereçam ajuda. Sem dúvida nenhuma esses momentos chilique são desafiantes para os pais. Mas muito pior é ver seu filho passar a vida inteira internalizando emoções negativas. Recalcar as lágrimas ou a raiva pode ser a causa de uma baita depressão mais tarde.
5. Elas podem fazer escolhas. Nossos pequenos têm muito pouco controle sobre a própria vida. Eles passam o dia inteiro escutando o que comer, para onde ir, o que fazer. Deixe algumas decisões a cargo deles. Poder escolher ocasionalmente o que vestir ou jantar é, com certeza, razão para sorrisos.
6. Elas sentem que estão sendo escutadas. Escute seus filhos para valer, não faça apenas de conta! Até porque até os mais pequeninhos percebem se você está de verdade prestando atenção ou se você ligou o piloto automático. A criança precisa saber que você se importa verdadeiramente com ela, que seu interesse é real. Isso vai ajudar vocês a criarem um relacionamento honesto e legal para toda a vida.
Gostou das dicas? Mas o mais importante ainda está vindo aqui:
7. Crianças felizes são amadas incondicionalmente. Criança apronta mesmo: você pede para não pular no sofá e ela pula. Aí ela se machuca e chora. E por mais que essa lógica seja meio incompreensível para nossa cabeça de adulto, infância é isso: um eterno jogo de tentativa e erro. Nossos filhos precisam experimentar e ver o que acontece. E nós temos que perdoá-los e amá-los mesmo quando os "experimentos" não dão certo. As crianças têm mais coragem de se arriscar quando sabem que seus pais vão amá-los e apoiá-los de qualquer jeito. Só assim podemos ajudá-los a se tornarem pessoas confiantes e com discernimento para tomar suas próprias decisões.
Seus filhos são felizes quando eles sabem que você sempre vai estar lá: "na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza".
Esse texto é uma adaptação do artigo e da entrevista "7 Secrets of Highly Happy Children" da terapeuta infantil Katie Hurley no site The Third Metric. Aqui o link para o artigo original e para a entrevista.

30 de jul de 2013

A nota de meus pais





PAI E MÃE - ACORDEMOS ENQUANTO TEMOS TEMPO...

LEIAM ESSE TEXTO COM MUITA ATENÇAO!!!!

...Era quarta-feira, 8:00 hs. Cheguei a tempo na escola do meu filho –“Não se esqueçam de vir à reunião de amanhã, é obrigatória” – Foi o que a professora tinha dito no dia anterior.

-“Que é o que essa professora pensa! Acha que podemos dispor facilmente do tempo que ela diz? Se ela soubesse quanto era importante a reunião que eu tinha as 8:30!” Dela dependia uma boa negociação e... tive que cancela-la!

Lá estávamos nós, mães e pais, e a professora.

Começou a tempo, agradeceu nossa presença e começou a falar. Não lembro o que ela dizia, minha mente estava pensando em como iria resolver esse negócio tão importante, já me imaginava comprando aquela televisão nova, com o dinheiro.

“João Rodrigues!” – escutei ao longe – “Não está o pai de João?” – diz a professora.

“Sim, eu estou aqui” – contestei indo para receber o boletim escolar do meu filho.

Voltei pro meu lugar e disse ao abrir o boletim.... –“Para isso foi que eu vim???? Que é isso???” O boletim estava cheio de seis e setes. Guardei rapidamente, para que ninguém pudesse ver como tinha se saído meu filho.

De volta para casa, aumentava ainda mais minha raiva, cada vez que pensava:

“Mas, se eu dou tudo para ele, não tem faltando nada!

Agora ele vai ver!” Cheguei, entrei a casa, fechei a porta de uma batida e gritei: “Vem aqui, João!”

João estava no quintal, correu para abraçar-me. –“Papai!”

– “Nada de papai!” o afastei de mim, tirei o meu cinturão e não lembro quantas vezes bati ao mesmo tempo em que falava o que pensava dele.

– “Agora vai para o teu quarto!”

João foi chorando, sua face estava vermelha e a sua boca tremia.

Minha esposa não falou nada, só mexeu a cabeça num gesto de negação e entrou na cozinha.

Quando fui para cama, já mais tranquilo, minha esposa me entregou o boletim do João, que tinha ficado dentro do meu casaco, e disse:

- “Leia devagar e depois pense numa decisão...”

Bem no começo estava escrito: BOLETIM DO PAPAI.

Pelo tempo que teu pai dedica a conversar contigo antes de dormir: 6

Pelo tempo que teu pai dedica para brincar contigo: 6

Pelo tempo que teu pai dedica para te ajuda com as tarefas: 6

Pelo tempo que teu pai dedica par te levar de passeio com a família: 7

Pelo tempo que teu pai dedica para te ler um livro antes de dormir: 6

Pelo tempo que teu pai dedica para te abraçar e te beijar: 6

Pelo tempo que teu pai dedica para assistir televisão contigo: 7

Pelo tempo que teu pai dedica para escutar tuas dúvidas ou problemas: 6

Pelo tempo que teu pai dedica para te ensinar coisas: 7

Média: 6,22

As crianças tinham qualificado os seus pais. O meu deu para mim 6 e 7 (sinceramente eu tinha merecido 5 ou menos)

Me levantei e corri para o quarto dele, o abracei e chorei.

Queria poder voltar no tempo... mas isso não é possível.

João abriu os olhos, ainda com os olhos inchados pelas lagrimas, sorriu, me abraçou e disse:

- “Eu te amo papai!” Fechou os olhos e dormiu.

Acordemos pais!!! Aprendamos a dar o valor certo aquilo que é mais importante em relação aos nossos filhos, já que disso depende o sucesso ou fracasso na suas vidas.

Já pensou qual seria a 'nota' que seu filho daria para você hoje?

Autor desconhecido.

10 de abr de 2013

10 erros que os pais cometem ao colocar os filhos para dormir

10 erros que os pais cometem ao colocar os filhos para dormir

http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI335475-15161,00-ERROS+QUE+OS+PAIS+COMETEM+AO+COLOCAR+OS+FILHOS+PARA+DORMIR.html
Na hora do desespero, mães e pais topam qualquer estratégia para os filhos pegarem no sono. Nem todas são recomendáveis
 Shutterstock
Crédito/foto: Shutterstock
Como todos os comportamentos do ser humano, o sono precisa ser ensinado ou condicionado. Criar certos hábitos pode acostumar mal a criança ou aumentar sua dependência dos pais. Listamos os principais erros que os casais cometem quando o assunto é hora de dormir:

Não ter rotina

Criança gosta e precisa de repetição para se sentir segura. O ideal é que a hora de ir para a cama seja precedida pelas mesmas ações, todos os dias.

Atividades agitadas

O ideal é que essa rotina não inclua atividades que vão deixar o pequeno ainda mais desperto, como brincadeiras que envolvem movimentação física e programas de televisão que deixam a criança agitada ou com medo. Entre as atividades relaxantes, estão tomar banho e ler um livro.

Colo

Um dos erros mais comuns é ninar o filho e deixá-lo adormecer no colo dos pais. As crianças devem dormir diretamente onde vão acordar, porque ao despertarem na madrugada, há grande chance de estranharem o berço e chamarem a pessoa que as fez dormir. O mais indicado é dar um beijo de boa-noite e levar a criança ainda acordada para o berço. Os pais deixam o quarto e, se ouvirem choro, voltam alguns minutos depois para que ela percebe que ninguém a abandonou. Aos poucos, o bebê se acalma e aprende a dormir sozinho.
Ninar pela casa

Nada de perambular com a criança pela casa no carrinho de bebê, colocar o bebê-conforto sobre a máquina de lavar ou passear de carro com o pretexto de fazer a criança dormir. Ela não precisa ser chacoalhada para pegar no sono. A dica é dar uma fraldinha ao seu filho, que ele se auto ninará.

Levar para dormir na cama dos pais

Se a criança acorda assustada ou chama pelos pais de madrugada, os adultos precisam dar atenção. Mas, no quarto dela. Isso porque ceder aos pedidos em um dia transmitirá a mensagem de que a criança pode insistir sempre. Se seu filho for direto para sua cama, você até pode deixá-lo ficar um pouquinho, mas leve-o de volta para o quarto dele quantas vezes forem necessárias. Compartilhar a cama com frequência atrapalha o sono da família, não incentiva a independência da criança e prejudica a intimidade do casal.

Luz acesa

É comum crianças terem medo do escuro, mas deixar a luz acesa altera a produção do hormônio melatonina, que induz o sono. Se seu filho estiver com medo, converse sobre os motivos da insegurança, explicando que não há razão para temer. Para acalmá-lo, deixe uma tomada de luz baixa, que ilumina o caminho, caso ele acorde de madrugada. Luz de cor azul tem efeito calmante. Para as crianças que não se importam, o melhor é apagar todas as luzes.

Deixar a TV ligada

Além de o som e a luz prejudicarem a qualidade do sono, ele precisa aprender a pegar no sono sozinho.

Dar comida de madrugada 
Os médicos dizem que a alimentação durante a noite é uma das coisas que mais atrapalham o sono. Se a criança tem fome, os pais devem verificar se a alimentação no restante do dia ou na última mamada da noite está sendo suficiente.

Irritação

Nada de inventar situações negativas em relação ao sono, como bicho-papão. Ficar bravo ou irritado na hora de colocar os filhos para dormir também é ruim, pois eles começarão a associar esse momento a algo negativo.

Evitar as sonecas diurnas para melhorar o sono da noite

As sonecas diurnas são necessárias até um período da vida da criança (veja tabela). Normalmente, esse sono se divide em duas etapas: de manhã e depois do almoço. À medida que seu filho cresce, a necessidade de dormir enquanto o sol está no céu diminui.  

17 de mai de 2012

Como ajudar as crianças a superar seus medos Do quarto escuro à morte, descubra como conversar com seu filho sobre o que causa pesadelos para ele

Como ajudar as crianças a superar seus medos

Do quarto escuro à morte, descubra como conversar com seu filho sobre o que causa pesadelos para ele

4 de maio de 2012


Como ajudar as crianças a superar seus medos
Como ajudar as crianças a superar seus medos
Os medos e suas fases



Eles estão ligados a etapas específicas do desenvolvimento, e o modo e a intensidade variam de criança para criança – têm relação com a personalidade dela, a dos pais, entre outros fatores. Com o crescimento e a maturação cognitiva e emocional, seu filho vai encontrando estratégias eficazes para lidar com os medos, mas sua ajuda é fundamental, claro.


Conheça alguns dos principais medos, de acordo com a idade do seu filho. E aprenda a lidar com eles:
ATÉ 7 MESES De barulhos inesperados e luzes fortes.


- Para ajudar: Evite expor a criança a qualquer estímulo intenso. Se não for possível, faça de maneira suave e verifique como ela reage.


DE 7 MESES A 1 ANO E MEIO 
De pessoas, ambientes e objetos novos; de perder os pais, pois acham que pessoas desaparecem quando não estão ao alcance de seus olhos.


- Para ajudar: O pai, a mãe ou o cuidador devem estar presentes quando o bebê for exposto a situações novas.


DE 1 ANO E MEIO A 3 ANOS Do escuro, de pessoas com máscaras ou fantasias, de ficar sozinho.


- Para ajudar: Ao encontrar alguém fantasiado, aproxime-se devagar e mostre que é apenas uma roupa diferente. Se ele não gostar, não force.


DE 3 A 5 ANOS 
De monstros, fantasmas, da escuridão, de animais, chuva, trovão, de se perder.


- Para ajudar: Respeite a criança, permitindo que se expresse, e explique que nada lhe acontecerá de mal. Quanto ao medo de se perder, faça-a decorar o nome inteiro e o telefone de casa e a ensine a pedir ajuda. Ela se sentirá mais segura.


A PARTIR DOS 5 ANOS 
De ser deixado na escola, de bandido, de personagens de terror.


- Para ajudar: Insegurança melhora com diálogo. Se o medo for de bandido, reforce, por exemplo, a importância de ficar perto de adultos conhecidos. Para a criança se sentir segura, diga que alguém sempre estará cuidando dela na escola.


A PARTIR DOS 6 ANOS 
Da própria morte e da dos pais, pois já a entende como algo irreversível; de ser criticado.


- Para ajudar: Se houver perguntas sobre morte, não invente histórias absurdas, diga a verdade de forma delicada. E quanto às críticas: explique que elas nos ajudam a melhorar.

Fonte: revistacrescer.globo.com 

24 de fev de 2010

Gibran Khalil Gibran: Sobre os Filhos


Os Filhos
Gibran Khalil Gibran

VOSSOS FILHOS NÃO SÃO VOSSOS FILHOS.

SÃO FILHOS E FILHAS DA ÂNSIA DA VIDA POR SI MESMA.

VEM ATRAVÉS DE VÓS,MAS NÃO DE VÓS.

E EMBORA VIVAM CONVOSCO,A VÓS NÃO PERTENCEM.

PODEIS OUTORGAR-LHES VOSSO AMOR,MAS NÃO,VOSSOS PENSAMENTOS;POIS ELES TÊM SEUS PRÓPRIOS PENSAMENTOS.

PODEIS ABRIGAR SEUS CORPOS,MAS NÃO SUAS ALMAS;POIS SUAS ALMAS MORAM NA MANSÃO DO AMANHÃ, QUE VÓS NÃO PODEIS VISITAR NEM MESMO EM SONHO.PODEIS ESFORÇAR-VOS POR SER COMO ELES,MAS NÃO PROCUREIS FAZÊ-LOS COMO VÓS.

PORQUE A VIDA NÃO ANDA PARA TRÁS E NÃO SE DEMORA COM OS DIAS PASSADOS.

VÓS SOIS O ARCO DOS QUAIS VOSSOS FILHOS,QUAIS SETAS VIVAS SÃO ARREMESSADOS.

O ARQUEIRO MIRA O ALVO NA SENDA DO INFINITO E VOS ESTICA COM SUA FORÇA,PARA QUE SUAS FLECHAS SE PROJETEM RÁPIDAS E PARA LONGE.

QUE VOSSO ENCURVAMENTO NA MÃO DO ARQUEIRO SEJA VOSSA ALEGRIA.

POIS,ASSIM COMO ELE AMA A FLECHA QUE VOA,AMA TAMBÉM O ARCO,QUE PERMANECE ESTÁVEL

GIBRAN KAHLIL GIBRAN

DO LIVRO: O PROFETA

9 de out de 2009

EDUCAR OS FILHOS - CHICO XAVIER - (EM HOMENAGEM AO DIA DA CRIANÇA, UM ALERTA !)



 
EDUCAR OS FILHOS - CHICO XAVIER




 
A criança é um emblema muito curioso. diz a psicologia moderna que nós devemos criar os nossos filhos sem traumas: não se pode dar uma palmada, não se pode repreender, não se pode falar coisa nenhuma, não se pode traçar um programa para a criança, não se pode disciplinar ...

Eu não sou adepto da palmatória e nem do chicote, mas sou amigo do diálogo e do muito amor para com a criança.

Agora sabendo que a criança está chegando de onde nós chegamos das zonas umbralinas da espiritualidade para reparar, para lutar, para trabalhar e para ter uma vida digna.

Agora se nós damos mesada para as crianças de 04 anos e se vamos na rua discutir com os outros, porque nós queremos defender nossa filha, nosso filho e achamos que eles são melhores que os filhos dos vizinhos, o que é que nós estamos criando, a pretexto de não educar?

Alguém já viu educação sem esforço? sem disciplina ?

Então, eu vejo senhoras que trazem o jardim delas podado. os Ficos são maravilhosos? elas fazem formas de anjos, formas de flores... Então as couves na horta são todas bem educadas, os canteiros...

Mas quando chega nos filhos...não, não pode porque tem trauma ... Depois manda para os psicólogos. Vão tomar bastante tranquilizantes. Já cresce um menino, ou uma menina com complexos, com uma ideia falsa de liberdade, porque a liberdade tem um preço, o preço da liberdade é o dever cumprido. Não é só ser livre, porque os animais na selva também são livres... todos os animais que não passarem pela domesticação são livres.

Agora, que liberdade é essa que eles estão preconizando? uma liberdade para nos estressarmos, para irmos aos tóxicos e acabarmos com a nossa vida? liberdade para matar os outros? liberdade para arrastar com a vida de nossos pais? para arrasar a vida de nossos filhos ? para bebermos cachaça até cairmos ? é a liberdade que a maioria pede, essa eu não conheço, porque estou no cabesto desde que fiz 4 anos. Estou falando com veemencia sobre assuntos que me trazem (este "Me" é empregado com muita vontade de o "nós"estar na frente ) mas, às sextas e sábados eu ouço habitualmente, nas duas noites, 500 a 800 pessoas, quando não passam de mil, sendo que 60 por cento nos trazem problemas perfeitamente evitáveis, se essas criaturas tivessem tido o cuidado de educarem seus filhos, desde os primeirosmeses de vida, conversando com Deus, em respeito a Deus, em trabalho, ensinando o serviço... Quando cercam a criatura aos 18 anos, ela já está perdida.

19 de jun de 2009

Dicas para uma convivência feliz com seu filho - em casa para a escola

Muitas vezes, nós pais e professores, nos questionamos o quão é difícil estabelecer normas eficazes ou hábitos saudáveis de vida que possamos propiciar ao aluno dentro de nossos lares para seu maior rendimento na escola.
Abaixo algumas dicas que podem ser úteis para nossos filhos e alunos, que podemos desempenhar em nosso cotidiano.

* Cultive o hábito da leitura em sua casa. Uma vez por semana peça ao seu filho para ler e comentar uma notícia de jornal, dialoguem sobre ela, exponha seus pontos de vista e o deixe livre para expressar o seu. Isso estimula a criatividade, o hábito de leitura, a interpretação, a boa oratória e o senso crítico.

* Ajude seu filho a conservar o livro didático. O material servirá para outros alunos futuramente. Busque doar livros usados, bem conservados para as escolas e bibliotecas públicas ou comunitárias.

* Acompanhe a freqüência da criança ou do adolescente às aulas e sua participação nas atividades escolares. - A presença dos pais é de suma importância para a elaboração de um bom trabalho didático. Os professores ao debaterem com os pais acerca das dificuldades de aprendizagem dos alunos podem modificar seus métodos de ensino ou melhorá-los, por isso, essa troca de informações é tão importante - ninguém pode advinhar tudo sozinho.

* Visite a escola de seus filhos sempre que puder.- paricipe da vida cotidiana da escola, de repente esse convívio pode ser benéfico para todos os indivíduos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem

* Observe se as crianças ou adolescentes estão felizes e cuidadas no recreio, na hora da entrada e da saída. - Ás vezes pequenos detalhes de nossos filhos não são percebidos no seio do lar, para isso é imprescindível observá-las, ainda que de longe, para perceber mudanças em seu comportamento perante os amigos e outros membros da sociedade.

* Verifique a limpeza e a conservação das salas e demais dependências da escola. - Para que a aprendizagem se dê de forma ordenada um ambiente limpo e organizado é fundamental. Ajude aos funcionários da escola a manter esse patrimônio conservado, instruindo seu filho à não rabiscar as carteiras, quebrar mesas ou destruir murais - a base para uma boa educação se dá dentro de casa

* Observe a qualidade da merenda escolar.- as crianças gastam muita energia enquanto estudam, nada melhor do que uma refeição balanceada, com frutas, verduras e legumes, além dos cereais e carnes que fornecem a proteína necessária para um bom funcionamento do cérebro.

* Converse outras mães, pais ou responsáveis sobre o que vocês observam na escola.- somos seres humanos e convivemos em sociedade. Nada melhor do que o diálogo para estreitar laços de convívio sadio e novas amizades.

* Converse com os professores sobre dificuldades e habilidades do seu filho. - quando o professor sabe dos pontos positivos e negativos de seu filho fica mais fácil para ele desenvolver novas atividades que possam despertar o interesse de todos. Cada criança é única, com seus gostos habilidades, dificuldades e pontos de vista diferentes.

* Peça orientação aos professores e diretores, caso perceba alguma dificuldade no desempenho de seu filho. Procure saber o que fazer para ajudar. Muitas vezes a partir de pequenos gestos podemos melhorar e muito o ritmo de aprendizagem de nossos filhos.

* Leia bilhetes e avisos que a escola mandar e responda quando necessário. - Os bilhetes e avisos nos cadernos são o meio de comunicação que a escola tem para que os pais tomem ciência das atividades propostas e de todo o trabalho desempenhado pela escola

* Acompanhe as lições de casa. - Todo o processo educativo implica em exercitar os conhecimentos aprendidos em sala de aula. As lições de casa visam que o aluno verifique sua capacidade de aprender. Fique atento para que essas tarefas sejam diariamente executadas.

* Participe das atividades escolares e compareça às reuniões da escola. Dê sua opinião.

* Participe do Conselho Escolar. - Quando colocamos nossos pontos de vista, nossas dúvidas e nos propomos à ajudar, todos ganham.

O papel da escola não deveria de ser apenas educar e sim promover a cultura social do diálogo produtivo, da troca de idéias, da construção de novas perspectivas de vida. Assim, a escola se transforma em uma unidade viva, plena de vivências e de união - a união social tão necesária em termos de democracia.

Abraços Fraternos

Semíramis Alencar

16 de abr de 2009

Cuide de mim - Semíramis Alencar

Cuide de mim

Cuide de mim, adulto que ora me crias.
Cuide de meus passos como se um diamante estivesse aos seus cuidados.
Não me deixeis à própria sorte, nem sujeito às facilidades terrenas.
Cuide para que minha higiene não seja tão apenas a física, mas que a moral seja tão alva quanto.



Resguarde de mim as tentações mundanas, do apelo sensual dos vícios e ócios da vida moderna. Antes, me prepare para os tempos difíceis com todo o amor, porém com o respeito e seriedade necessários para a vida verdadeira.



Oriente-me à prática da oração diária, da caridade e da fraternidade aos irmãos que nada têm.
Oriente-me na concessão do perdão e na humildade em pedi-lo.
Não vire às costas por passos em falsos, se de repente eu vacilar na minha conduta, reconduza-me ao bom caminho e às virtudes.



Entretanto, o faças com amor, paciência e benevolêmcia sempre, pois
Se me agrides verbalmente, a mágoa se prende ao meu peito
Se me agrides fisicamente, o ódio me insufla a ser impiedoso
Se me assusto, por medo não me modifico
Se não me modifico hoje, amanhã posso te desconhecer,
Se te desconheço, procuro te ferir
no futuro, desconhecerei e ferirei toda a humanidade
e arruinarei o caminho à minha própria evolução.


Semíramis Alencar

11 de nov de 2008

Adoção, Um ato de amor

Esta blogagem coletiva foi proposta pela Geórgia Aertinger e hoje posto meu artigo sobre o generoso gesto da adoção, explicando que, antes de mais nada, considero a adoção pela ótica espiritualista, pois nesse quesito analiso a questão de que famílias constituídas por membros sem laços sanguíneos podem ser tão mais felizes quanto as genéticas.

Adotar uma criança é sim um ato de amor, incondicional. Segundo Allan Kardec: “O corpo procede do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito” (Evangelho Segundo o Espiritismo - Kardec, A.)

Quando adotamos, ou pensamos em adotar uma criança, devemos estar cônscios de que entra para nossas vidas um outro ser humano, com uma bagagem afetiva, genética, histórica, diversa da nossa. Por outro lado, se pensarmos bem somos todos adotados pois ninguém é propriedade de ninguém. Um filho nosso de hoje poderá vir a ser nosso pai amanhã. Isso é o que estabelece a lei da reencarnação.

Neste plano terreno, onde tantas são nossas provas e expiações, assumir os cuidados para com uma criança que se encontra sozinha no mundo constitui a um só tempo, formar as bases para se criar um ser humano mais feliz e cumprir com uma etapa de uma encarnação bem sucedida. desta forma ter um filho adotivo ou biológico semper será para a família uma forma de ressarcir debitos anteriores, direta ou indiretamente, independente de serem da família ou da própria criança.

Qualquer pessoa pode adotar uma criança, desde que maior, com condições psicológicas e financeiras estáveis. Há uma crítica quanto aos casais homossexuais serem capazes ou não de adotar uma criança. Pessoalmente acredito que onde há amor, há compromisso e há a necessidade de ser amado, tudo pode ser possível, afinal, são de almas reencarnantes de que estamos falando.

Aonde há exercício da afetividade e da solidariedade fraterna, há progresso. NO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO”, Cap. XI, item 9, diz: “Disse Jesus: ‘Amai o vosso próximo como a vós mesmos’. nossa relação com o próximo deveria de ser ilimitada, sem famílias, nações ou seitas para bloqueá-la, ou seja, a humanidade inteira. De livre arbítrio do indivíduo entender se o exercício que está fazendo dentro da relação é de solidariedade, desenvolvimento de laços fraternos, ou se apenas está baseado nas sensações e na busca da sensualidade.

Levando em conta que a constituição de laços de família é uma necessidade do Espírito. A família terrena é um instrumento para a construção da família espiritual. Desta forma, devemos ponderar que, ao adotar uma criança, devemos também estar conscientes de que assumimos a responsabilidade da problemática do ser adotado. O espírito Joana de Angelis nos alerta que os filhos recusados em outras etapas alcançar-nos-ão o lar ou a intimidade por processos transversos. Portanto, se você pensa em adotar uma criança , você pode estar adotando, nada mais nada menos, um ser que de alguma maneira está relacionado com sua vida anterior. Somos todos irmãos, ligados por um mesmo laço: cada indvíduo que passa por nós, nos deixam um pouco de si e leva um pouco de nós, Fernando Pessoa já dizia isso, quem somos nós para refutá-lo?

Entretanto, há aqueles casais que optam por uma união sem filhos, naturais ou adotados. Tal situação não atende a todas as finalidades do casamento segundo a Doutrina Espírita, uma vez que ”A reprodução é uma Lei da Natureza sem ela o mundo corporal pereceria” (LE, 686). Segundo um planejamento feito anteriormente (no Plano Espiritual), um casal pode chegar a nunca ter filhos, atendendo a tarefas humanitárias, trabalhando pelo próximo, fazendo o bem ser ver a quem, em milhares de orfanatos, asilos, escolas e lares espalhados nesse planeta.

Um casal impossibilitado de ter filhos, agiria de acordo com a Caridade se os adotasse, pois esse seria um caminho de atendimento a algumas dessas denominadas ”tarefas humanitárias”. Se eles desejam filhos e não os têm é porque certamente estão num processo de reabilitação, que eles podem apressar com a adoção de crianças desvalidas.

Enfim, adotar uma criança é um grande ato de amor e uma solução feliz para aqueles casais que não podem ter filhos ou para os que têm e sentem a necessidade de amparar mais um ser. Desta forma não estamos trazendo para dentro de nossas casas filhos sem pai nem mãe, mas sim, grandes afetos nossos de passadas reencarnações, espíritos com quem devemos nos reajustar. Os Órfãos, no Evangelho Segundo o Espiritismo (Cap 13, item 18), diz:

Os órfãos - 18. Meus irmãos, amai os órfãos. Se soubésseis quanto é triste ser só e abandonado, sobretudo na infância! Deus permite que haja órfãos, para exortar-nos a servir-lhes de pais.

Que divina caridade amparar uma pobre criaturinha abandonada, evitar que sofra fome e frio, dirigir-lhe a alma, a fim de que não desgarre para o vício!

Agrada a Deus quem estende a mão a uma criança abandonada, porque compreende e pratica a sua lei.

Ponderai também que muitas vezes a criança que socorreis vos foi cara noutra encarnação, caso em que, se pudésseis lembrar-vos, já não estaríeis praticando a caridade, mas cumprindo um dever.

Assim, pois, meus amigos, todo sofredor é vosso irmão e tem direito à vossa caridade: não, porém, a essa caridade que magoa o coração, não a essa esmola que queima a mão em que cai, pois freqüentemente bem amargos são os vossos óbolos! Quantas vezes seriam eles recusados, se na choupana a enfermidade e a miséria não os estivessem esperando!

Dai delicadamente, juntai ao beneficio que fizerdes o mais precioso de todos os benefícios: o de uma boa palavra, de uma carícia, e um sorriso amistoso. Evitai esse ar de proteção, que eqüivale a revolver a lâmina no coração que sangra e considerai que, fazendo o bem, trabalhais por vós mesmos e pelos vossos. - Um Espírito familiar. (Paris, 1860.)

Abraços fraternos,

Semíramis Alencar

____________________________________________________________________________________

NOTA DA AUTORA: Por eu ser espírita escolhi o tema Adoção perante o espiritismo pois não concebo a adoção de outro ser sem o devido conhecimento espiritual. Essa é uma visão minha amparada nos ensinamentos de Alan Kardec, os quais acho justos e condizentes com nossa condição de encarnados. Entretanto, considero que muitos colegas possam não concordar com minha visão, por serem de credos diferentes ou mesmo por não possuirem nenhum. Todavia, estamos num país com liberdade de expressão e de culto e achei justo colocar nesta postagem o que acredito ser de mais puro, bom e verdadeiro, o que é vital para a vida de todos os seres humanos.

Artigo publicado inicialmente no Ne quid nimis

17 de out de 2008

Blogagem Coletiva - Adoção um ato de amor




O convite me foi gentilmente feito pela Geórgia, do Blog Saia Justa
A participação de todos os segmentos da sociedade no processo de favorecer à quem realmente quer ter um filho adotivo é de grande importância para milhares de crianças e adolescentes que buscam um lar para serem acolhidas com amor, afeto, compreensão e sobretudo, harmonia e capacidade para enfrentar novos desafios.

O Nequidnimis e o Educando o Amanhã abraçarão essa campanha de coração aberto. Junte-se a nós nessa campanha por mais dignidade e afeto às nossas crianças!

Abraços

Se


Conteúdo retirado do blog Saia Justa !

Para a Blogagem Coletiva o convite é:

A data para a blogagem será na semana de 10 a 15 de novembro. Assim teremos uma semana inteira para escrevermos e interagirmos sobre o tema: Adoção de Crianças e Adolescentes. Vamos em frente? Posso contar com você para ajudar a divulgar essa blogagem em seu blog?


A lista das adesões dos blogs será publicada tanto no Chega Mais quanto no Saia Justa migrando para cada post até a semana da blogagem inclusive.

Abraços Fraternos

Se

22 de set de 2008

Não seja mais um retrato na parede da memória de seu flho

Nada é mais gratificante do que, ao final de um dia repleto de lutas e indiferenças, você encontrar seu filho acordado. Só o sorriso que te é ofertado já vale pelas gratificações materiais mesquinhas e os sacrifícios estúpidos para ascensão aos degraus escorregadios da escada profissional.

Se pecisamos do dinheiro e da posição social para mantermos o status quo de play stations, Mp3s, Dvds e Cds em profusão, mais ainda necessitamos, pais e filhos, do calor do diálogo, do toque, do olhar... aquela máxima de que um olhar vale mil palavras é a mais correta de todas. Vivenciei isso com meus pais e hoje temos, eu e meu esposo, a mesma sintonia com nossos filhos: nossas almas se comunicam, sem as barreiras sociais do consumismo ou das atitudes que, ora enclausuram um ser em formação na rebeldia sem causa de nossos dias, ora colocam-nos adultos realizados nas armadilhas de prisões confortáveis, privando-nos da mais rudimentar das trocas de experiência, carinho e cuidados: a própria presença.

Reclamamos constantemente de nossos filhos, mas não prestamos atenção no que eles falam, sobretudo, não participamos, ainda que à título de curiosidade, de seus dilemas estudantis, sejam eles infantis ou adolescentes, sob a desculpa de que já passamos dessa fase e que temos que assegurar-lhes a vida no futuro. Depois, quando estes partem para viverem suas próprias vidas reclamamos-lhes o carinho, o amor a atenção e passamos a vigiar-lhes os passos, cobrar-lhes afeto e confiança em nossas figuras paternais.

Aí eu pergunto: como posso confiar naquele que nunca quis saber sobre o que se passava na minha vida? ao contrário do que muita gente pensa, uma criança não é uma tábula rasa a qual moldamos sua personalidade à nossa vontade. Uma criança se forma adulto através das reelaborações que ela faz de seu próprio mundo, do que ela vive, experimenta, sente e entende.

Para isso acontecer é necessário que ela tenha contato com outras pessoas, com coleguinhas na escola (onde ela praticará as regras de vida em sociedade e adquirirá conhecimento formal)e principalmente, para que toda essa gama de conhecimento fique bem amarrada, é imprescindível o convívio e a troca de experiências com seus pais e familiares.

Muitos pais reclamam que seus filhos não se parecem nem um pouco com eles. O que você esperaria de uma criança que ficasse quase que o dia inteiro, incluindo sábados, domingos e feriados, na convivência de todas as pessoas menos na de seus pais? como eu posso cobrar de meu filho que ele se identifique comigo, apenas por uma foto bonita na parede, meus Cds na estante ou um recado cobrativo do tipo "faça a lição de casa"?

Reconheço que as cobranças do mundo moderno se estendem na cervejinha do happy hour,a ida ao cabelereiro aos sábados pela manhã e as peladas de domingo com os amigos, porém penso que à partir do momento que você tem filhos, algumas coisas devem e podem ser repensadas ou diagramadas. Um tempo e um espaço para que você e seu filho se sintonizem é de grande importância para o crescimento dele enquanto pessoa.

Muitas vezes nossos filhos apresentam comportamentos estranhos na escola desenvolvendo uma série de distúrbios, geralmente irreversíveis na vida adulta. Uns apresentam sintomas depressivos, desinteresse, desânimo e até sono, caindo no alcoolismo ou no consumo de drogas; outros apresentam baixo rendimento cognitivo, tarefas incompletas ou não-feitas, estes geralmente acabam abandonando os estudos. Em alguns casos mais graves encontramos crianças e jovens que apresentam características violentas com colegas, professores e funcionários. Apesar de apresentarem boas notas e famílias economicamente estáveis, estes alunos costumam mostrar-se perversos por puro prazer, dizendo fazer isso por não terem atenção em casa ou porque também são agredidos em suas casas.

Num estudo feito por uma universidade americana à alguns anos atrás, mostrou que 80% das crianças e adolescentes que manifestavam esses sintomas não mantinham o convívio diário sadio com seus pais e familiares. Muitos, ao perguntarem "Quem são seus pais?" respondiam "Meus pais são um retrato na parede".

Portanto, caros papais e mamães, lanço aqui uma campanha:

Não seja mais um retrato na parede da memória de seu filho: seu filho é um ser humano igual a você, participe de sua vida hoje para que ele não te desconheça amanhã!!

O òdio é apenas o amor que adoeceu gravemente (Chico Xavier)

Abraços fraternos,

Prof. Semíramis Alencar

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!