4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador saudade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador saudade. Mostrar todas as postagens

25 de dez de 2008

LUTO

Quem não conhece a perda de uma mãe, ainda não conheceu a dor do desamparo.
Do perfume que se perdeu no quarto, do riso fácil ecoando no vento… que saudade… Se a perda de meu pai foi dolorosa, me levando metade de minha alegria, a perda de minha minha mãe me tomou num estado de mais profunda agonia.

Minha mãe … amiga, confidente, médica, sacerdotiza, minha mãe é a mais verdadeira amiga, daquelas que o tempo não traz de volta e nem a vida recompensa com outra.
Mãe é uma só, já dizia a saberdoria popular. No meu caso, minha mãe não era apenas a senhora respeitável, de cabelos grisalhos, repleta de experiências de vida.

Minha mãe era o meu eixo, aquela que me serviu de exemplo para toda uma vida. Pedra preciosa do caminho de muitos, caridosa, amava os cãezinhos e as crianças. Amparava os idosos, defendia a igualdade de todos.
A senhora das alegrias incontidas, que fazia troça de seu próprio sofrimento, que ria um riso solto, o qual eu nunca mais me esquecerei.

Aprendi com minha mãe muito sobre a fé, o que é ser solidária no seu real sentido e a ser desprendida, mas também aprendi o valor da amizade e das relações de família.

A sábia, a intelectual, a professora, a mestra, a agente (Scavuskkka!!!) recebi de minha mãe todos os subsídios para viver plenamente e com plenitude. Um amor e felicidade inigualáveis que a imortalidade nos fará reencontrar…

Portanto, entristecida pela saudade que tenho de minha mãe e rogando à vocês um Natal repleto de paz, amor e união em suas famílias, comunico-lhes meu estado de Luto


fraternalmente,
Semíramis

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!