4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador कल्तुरा एस्कोला educaçãओ इन्दिओस. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador कल्तुरा एस्कोला educaçãओ इन्दिओस. Mostrar todas as postagens

18 de abr de 2008

19/04 - Um dia para lembrar...

19/04, Dia do Índio. Um dia para lembrar. Esta minha postagem era para ter ido ao ar ontem, mas devido à imprevistos familiares, somente hoje pude postá-la. Mesmo assim, faço hoje minha homenagem aos nossos irmãos indígenas, com meu respeito.
Semíramis

Criado pela FUNAI em 1967, o dia do Índio foi criado como uma homenagem aos indígenas, nativos de nossas terras, quase que dizimados pelos colonizadores.

E só. Até bem pouco tempo atrás, eu costumava ver as crianças saindo de suas escolas enfeitadas com cocares, arco e flechas, rostinhos pintados... Hoje em dia, nem tanto. O que aconteceu com as datas cívicas?

Há quem abomine as datas cívicas por considerá-las uma forma de imposição do patriotismo pelo regime militar, porém o que dizer de um povo que aos poucos vai perdendo sua cultura? O que dizer de um povo que aos poucos vai se esquecendo de suas tradições?

Índios, hoje são poucos os que mantêm suas tradições. Peles pintadas e ornamentos plumários pouco ou nada são usados em virtude das “vestes de branco”. Os índios estão deixando de lado suas raízes para viver a comezinha vida dos brancos: suas diversões, seus remédios e vícios – como se salvarão? Se o próprio governo não designa pessoal capacitado para orientá-los (e não deixá-los à sua própria sorte).

Por outro lado, alguns membros das comunidades indígenas estão saindo das aldeias para lutarem por seus direitos. Começam pela educação: muitos ingressam nas universidades a fim de poderem repassar, dentro de sua própria cultura, linguagem e pensamento as virtudes, soluções, prós e contras do mundo dos brancos. São professores, advogados, médicos e enfermeiros indígenas.
Estes profissionais acreditam que, se ampliadas as condições de estudo, emprego e renda, sua tribo pode viver harmoniosamente com o restante da população, produzindo, negociando, partilhando o conhecimento e auxiliando nas pesquisas que favorecerão a humanidade como um todo, sem com isso desprezar seu passado histórico, antes, revivê-lo a cada dia, mantendo vivas suas tradições, costumes, ritos e sabedoria. Conceitos Morais e Religiosos.

A Funai registra a existência de 206 povos indígenas, alguns com apenas uma dúzia de indivíduos. Somente dez povos têm mais de 5 mil pessoas. As 547 áreas indígenas cobrem 94.091.318 ha, ou 11% do país. Há indícios da existência de 54 grupos de índios isolados, ainda não contatados pelo homem branco.

Pois, a história dos primeiros habitantes dessas terras milenares necessita de bem mais do que um dia para serem lembradas. São mais de 600 tribos, cada qual com sua história: Kaiapós, Pataxós, Arawêtes, Ticunas... Todas com um modo diferente de ver sua existência, sua criação e a criação do mundo.

O que essa existência pode nos trazer, além de um retorno com nossas próprias origens é o aprendizado para a vida, o respeito aos ancestrais e a construção da vida em comunidade.

Que esta seja uma data para ser lembrada a figura do índio, não somente neste dia, mas um diálogo reflexivo para todo o ano.




Fontes: Institut Arara - http://www.arara.fr/BBTRIBOS.html
FUNAI - http://www.funai.gov.br/index.html
Desvendar.com - http://www.desvendar.com/especiais/indio/tribos.asp

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!