4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador intencional. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador intencional. Mostrar todas as postagens

19 de mar de 2013

Aula 07 continuação - A educação fora e dentro da escola - Educação Infantil


Continuação da aula 07. Educação Fora e Dentro da Escola

 Partindo da máxima que "O próprio indivíduo se educa" – através da organização e reorganização de suas experiências – sabemos que ninguém o fará por ele. Um indivíduo que não organiza ou reorganiza seu interior – conceitos, pensamentos, ações e atitudes – seria um mero autômato, agindo apenas pelo condicionamento (ver os cães de Pavlov ou os macaquinhos de Harlow).
Esse mesmo indivíduo deverá ser trabalhado/ preparado para perceber e interpretar tais estímulos, exigindo ampla participação pessoal. Desta forma, se considerarmos que toda educação é uma auto-educação, a sociedade desempenha papel importante de geradora dos meios, determinante dos objetivos a serem alcançados e na orientação desse processo.
O indivíduo educa-se para determinada situação por meio de uns tantos recursos técnicos materiais e humanos que a sociedade os prepara cuidadosamente
A educação tanto fora quanto dentro da escola poderá ser intencional e não-intencional.
Intencional – quando as condições educativas; objetivos; recursos; atividades – são previamente estabelecidas e arranjadas pelo grupo.
Não-intencional – quando não há preparação prévia das condições que levem à educação; o indivíduo, como participante do grupo ou mero espectador, a partir da própria convivência social, vai assimilando e incorporando maneiras de agir, pensar e sentir do grupo.
Fora da escola predomina a educação não-intencional, já que o indivíduo  aprende e se educa através de todas as experiências sociais das quais  participa: brinquedos, passeios, , programas de comunicação (TV, rádio, internet)convivência familiar, grupal religiosa ou não, etc. O que não quer dizer que fora da escola ou das religiões não há educação intencional.
A maior parte dos pais tem objetivos claros a atingir em relação aos filhos e aplicam meios que consideram mais eficientes para alcançar tais objetivos. Então existe a intenção de educar, de orientar, de criar condições para que os filhos possam se desenvolver de acordo com as expectativas dos pais e da sociedade.    
O nascimento introduz a criança num mundo novo, com numerosas e sempre novas experiências, tanto individuais quanto sociais.
Ao nascer, o bebê se defronta com muitas coisas que nada tem a ver com a sociedade, mas envolve-se de maneira especial seu próprio corpo: fome, prazer, dor, conforto, segurança – seu corpo é atingido por inúmeros estímulos físicos externos: luz/escuridão; superfícies de diversas texturas; líquidos, sólidos, etc.
Mas é também ao nascer que tem início a vida social da criança, já que seu mundo é habitado por outras pessoas  - aos poucos a criança vai distinguindo, compreendendo a importância relativa de cada uma para seu próprio bem –estar. Só outra pessoa pode saciar a fome do bebê ou dar-lhe o conforto necessário, o calor, a segurança, a limpeza e higiene.
São os outros que criam as condições para as experiências infantis  estabelecerem padrões através dos quais ela estabelecerá relações com o mundo exterior. Padrões que são incorporados pela criança, penetram em seu organismo e interferem no seu crescimento.    

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!