30 de dez de 2012

Seja Feliz, Feliz 2013!


Foto: Aos amigos, amigas, alunos, colegas, fãs, com votos de um 2013 de felicidade e paz. 

Se eu pudesse te dar um único conselho hoje, que te valesse para o ano que está chegando, eu diria para você SER FELIZ. Não ser feliz acanhadamente, aceitando as coisas que venham e se contentando com as migalhas de felicidade, mas que que você conquiste seus sonhos. 
Ouse sonhar, porém não se acanhe e corra atrás daquilo que sonhas. Se arrume, se cuide, estude, trabalhe - conheça novas pessoas. Se afaste de pessoas negativas e pessimistas, busque as que transmitam alegria e força de vontade.
 Não se deixe levar pela preguiça - a preguiça espanta os sonhos. Nem se deixe abater pelo que algumas pessoas pensam ou falem de você, para você. A maioria da pessoas não vive, fingem que vive e são tão boas nisso, que nos dá a impressão de que elas estão certas e você não.
Cada um de nós é o responsável pela sua própria felicidade, não a deposite nos outros - esses outros podem ser irmãos, pais, namorados, amigos... Ninguém fará isso por você por mais boa intenção que a pessoa possa ter ( e o inferno ainda está cheio de gente bem intencionada) 
Assuma que você quer algo e segue adiante. Você quer um namorado? ninguém vai chegar em você com um buquê de flores, cheiroso e bem arrumado, qual um príncipe encantado se você não sai de casa (mesmo que você saia de casa, isso anda um bocado difícil...) Se você não se cuida a coisa fica ainda pior... com o tempo o corpo vai perdendo o viço, a graça, os cabelos vão perdendo a cor e você vai perdendo a graça... e como vc consegue? simples, vivendo. A gente vive quando acorda, espreguiça gostosamente pensando no dia maravilhoso que terá, enquanto agradece ao Criador por todas as coisas incríveis que te aconteceram e as que acontecerão, enquanto se arruma para enfrentar o dia. 
Viver plenamente, é viver sem lamurias, buscando ser feliz em primeiro lugar.  Procure buscar beleza em sua vida: para que as coisas boas possam te acontecer você deve buscar as coisas boas primeiro. É uma senha para se viver feliz - se afaste das coisas ruins que te cercam e busque apenas as que te deem prazer - um banho de mar, um passeio de bicicleta, um vôo de asa delta, o brincar com um gato, o cuidado consigo mesma- as pequenas coisas que fazemos no dia a dia são as mais importantes para alcançarmos a felicidade. 
Cante se quiser cantar, dance se gostar de dançar, ria e ria muito, pinte, borde.... o mais importante é ser você - use um chapéu colorido, uma flor no cabelo, arrase no visual ou simplemente ande de havaianas e calça jeans desbotada. As pessoas te amarão do jeito que você for, porém somente se você ousar a ser feliz e tão somente dessa forma... Você é o único responsável por sua felicidade.

Feliz 2013! Feliz!

Semíramis Alencar 
30/12/12Aos amigos, amigas, alunos, colegas, fãs, com votos de um 2013 de felicidade e paz.

Se eu pudesse te dar um único conselho hoje, que te valesse para o ano que está chegando, eu diria para você SER FELIZ. Não ser feliz acanhadamente, aceitando as coisas que venham e se contentando com as migalhas de felicidade, mas que que você conquiste seus sonhos.
Ouse sonhar, porém não se acanhe e corra atrás daquilo que sonhas. Se arrume, se cuide, estude, trabalhe - conheça novas pessoas. Se afaste de pessoas negativas e pessimistas, busque as que transmitam alegria e força de vontade.
Não se deixe levar pela preguiça - a preguiça espanta os sonhos. Nem se deixe abater pelo que algumas pessoas pensam ou falem de você, para você. A maioria da pessoas não vive, fingem que vive e são tão boas nisso, que nos dá a impressão de que elas estão certas e você não.
Cada um de nós é o responsável pela sua própria felicidade, não a deposite nos outros - esses outros podem ser irmãos, pais, namorados, amigos... Ninguém fará isso por você por mais boa intenção que a pessoa possa ter ( e o inferno ainda está cheio de gente bem intencionada)
Assuma que você quer algo e segue adiante. Você quer um namorado? ninguém vai chegar em você com um buquê de flores, cheiroso e bem arrumado, qual um príncipe encantado se você não sai de casa (mesmo que você saia de casa, isso anda um bocado difícil...) Se você não se cuida a coisa fica ainda pior... com o tempo o corpo vai perdendo o viço, a graça, os cabelos vão perdendo a cor e você vai perdendo a graça... e como vc consegue? simples, vivendo. A gente vive quando acorda, espreguiça gostosamente pensando no dia maravilhoso que terá, enquanto agradece ao Criador por todas as coisas incríveis que te aconteceram e as que acontecerão, enquanto se arruma para enfrentar o dia.
Viver plenamente, é viver sem lamurias, buscando ser feliz em primeiro lugar. Procure buscar beleza em sua vida: para que as coisas boas possam te acontecer você deve buscar as coisas boas primeiro. É uma senha para se viver feliz - se afaste das coisas ruins que te cercam e busque apenas as que te deem prazer - um banho de mar, um passeio de bicicleta, um vôo de asa delta, o brincar com um gato, o cuidado consigo mesma- as pequenas coisas que fazemos no dia a dia são as mais importantes para alcançarmos a felicidade.
Cante se quiser cantar, dance se gostar de dançar, ria e ria muito, pinte, borde.... o mais importante é ser você - use um chapéu colorido, uma flor no cabelo, arrase no visual ou simplemente ande de havaianas e calça jeans desbotada. As pessoas te amarão do jeito que você for, porém somente se você ousar a ser feliz e tão somente dessa forma... Você é o único responsável por sua felicidade.

Feliz 2013! Feliz!

Semíramis Alencar
30/12/12

27 de dez de 2012

Educadores apontam sites com conteúdos educativos para crianças

Educadores apontam sites com conteúdos educativos para crianças

http://canaldoensino.com.br/blog/educadores-apontam-sites-com-conteudos-educativos-para-criancas 
Seu filho faz parte da chamada "geração Y". Também conhecida como geração da Internet, ela é composta por nascidos depois da década de 80 e tem como principal característica o seu crescimento em uma época de grandes avanços tecnológicos. Isso quer dizer que o computador faz ou fará parte da rotina dele (como a TV talvez tenha feito da sua). "As crianças e os adolescentes de hoje são nativos do computador e da internet. Já os adultos são imigrantes. São relações muito diferentes", afirma Melina Veiga, especialista em Tecnologias Interativas Aplicadas à Educação e professora de Informática do Colégio Santa Marcelina, em São Paulo.
Um dos principais símbolos dessa nova geração é justamente a internet. Seja ela via computador, seja via celular. A pesquisa Kids Expert 2008, encomendada pelo canal infantil Cartoon Network, mostra que 60% das meninas entre 7 e 15 anos ficam entre 30 minutos e quatro horas por dia conectados. Entre os meninos, o percentual é de 55%. Mais de 6 500 crianças foram entrevistadas no ano passado.
E o que essas crianças e esses adolescentes fazem na rede? Essa mesma pesquisa mostrou que eles passam boa parte do tempo em programas de mensagens instantâneas e redes sociais, como Orkut e Facebook, conversando com amigos e visitando álbuns de fotos - passatempos que não necessariamente acrescentam algo à formação intelectual.
O tempo passado na Internet pode ser voltado para o aprendizado e a aquisição de conhecimentos. Há diversos sites que incentivam o desenvolvimento saudável de crianças e adolescentes, ampliando o seu universo cultural. Combinando informação com diversão, eles são, também, um excelente passatempo, que podem entreter e divertir os jovens. "Há conteúdos muito ricos na internet, para todas as idades. Acessando sites adequados para a faixa etária, crianças e adolescentes poderão aproveitar o que há de melhor na rede", diz Helena Cortês, professora da Faculdade de Educação da PUC-RS.
É justamente por isso que os pais devem participar mais dessa navegação, dessa exploração do mundo, orientando os filhos e fazendo uma mediação durante os momentos em que ele usa o computador. Mesmo em sites seguros, de conteúdo educativo, pode haver "falha" na segurança. Sites voltados para crianças com comunidades que possibilitam a interação entre os internautas, por exemplo, precisam de moderação e de um bom sistema de cadastro. "Um dos maiores perigos da internet é a pedofilia. Em comunidades e sites de relacionamento, as crianças correm risco de se relacionar com pessoas mal intencionadas", alerta a educadora Luciana Allan, diretora técnica do Instituto Crescer para a Cidadania.
Outra recomendação dos educadores é que os pais atentem ao excesso de publicidade em determinadas páginas – há um projeto de lei em tramitação no Congresso que proíbe qualquer tipo de comunicação mercadológica voltada para crianças. "O apelo ao consumo por parte das crianças é algo condenável", afirma Maria Ângela Barbato Carneiro, professora da Faculdade de Educação da PUC-SP. Também é bom prestar atenção no tempo passado em frente ao computador. "É preciso evitar que o computador se transforme em uma babá eletrônica. Ele deve ser apenas um dos muitos recursos usados na Educação de crianças e adolescentes", recomenda Helena Cortês.
A equipe do Educar para Crescer fez uma lista de sites educativos para crianças e adolescentes e solicitou a avaliação de seis especialistas em Educação:
  • Adriana Bruno, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Helena Cortês, professora da Faculdade de Educação da PUC-RS
  • Humberto Estevam, diretor de ensino do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM)
  • João Luís de Almeida Machado, doutor em Educação pela PUC-SP e coordenador pedagógico da Escola Moppe, em São José dos Campos (SP)
  • Luciana Allan, diretora técnica do Instituto Crescer para a Cidadania
  • Maria Ângela Barbato Carneiro, professora da Faculdade de Educação da PUC-SP
  • Melina Veiga, especialista em Tecnologias Interativas Aplicadas à Educação e professora de Informáticado Colégio Santa Marcelina, em São Paulo
Veja a seleção de sites para crianças e adolescentes avaliados pelos educadores. Preste atenção às recomendações e divirta-se com o seu filho!

26 de dez de 2012

Cuidado com as crianças na piscina! No verão, aumentam os casos de afogamento de crianças em piscinas e praias - é bom ficar de olho!

Se você tem piscina em casa, ou costuma frequentar algum clube juntamente com seus filhos. É essencial que se mantenha alerta para os cuidados necessário que se devem ter com crianças próximas a piscina; o mesmo é válido para praias.
Piscinas:
1- Jamais deixe seu filho sozinho em uma piscina, seja rasa ou não. Esteja próxima, e se ele for pequenino esteja com ele, não se descuide nem por um minuto. Um simples descuido é suficiente para que ele afunde e se afogue. Isso vale para os banhos na banheira em casa também, não o deixe NUNCA sozinho. Não sou fatalista, sou realista.
2- Caso você tenha piscina em casa e não possa estar sempre por perto, instale equipamentos de alarme de aproximação nas bordas da piscina, ou seja, quando seu filho aproximar-se das bordas o alarme irá soar, assim será facil chegar alguem a tempo para evitar que ele caia na piscina.
3- Atenção REDOBRADA com os ralos da piscinas e aparelhos de succção e higienização da agua, instalados na mesma. Se tiver piscina em casa cuide para que a capacidade de sucção do aparelho seja adequada ao tamanho e quantidade de metros cubidos de agua que contem a piscina, caso contrario pode ocorrer algum erro na instalação ou manutenção e o aparelho ser de maior potencia que o necessario; exercendo assim uma força de sucção maior do que o necessario, podendo ocasionar acidentes.
Praias:
1- Não deixe seu filho sozinho na agua e nem na areia.
2- Caso seu filho entre na agua, acompanhe-o e esteja atenta para o limite de segurança da praia.
3- Esteja atenta para as praias que estão proibidas de frequencia, devido a sujidade da agua.

Atividades criativas nas férias

E estamos de férias! que tal fazer as férias de seu filho ainda mais criativas? Nos dias de hoje é comum os pais deixarem seus filhos diante dos aparelhos eletrônicos, conectados, mesmo porque o trânsito e a violência nas grandes cidades nos leva a manter nossos filhos numa redoma. Compreensível, mas não indicado. A criança necessita do espaço social para aprender a conviver, a ser, a fazer e a aprender em conjunto.
Coloque seu filho para aprender um instrumento musical, ou praticar um esporte leve, ou ainda, ensine/aprenda com ele coisas novas

Reblogado de 

Educação em todo lugar

Aprendemos coisas novas a todo momento. As férias podem ser uma ótima temporada pra descobertas.


21/06/2012 12:38
Texto Camilo Gomide
Educar
Foto: Omar Paixão
Criança e pai pedalando
"Não é só indo na escola que se aprende. Crianças e jovens podem aprender com avós, tios e até mesmo entre eles"
Não é só na escola que descobrimos coisas novas. O aprendizado pode acontecer em qualquer lugar e não é necessariamente algo chato ou metódico. Em linhas gerais, aprender significa colocar em prática um novo conhecimento, seja uma receita de bolo, seja o nome de uma árvore, seja uma música ou seja um conceito de física. "Em geral, o aprendizado acontece da seguinte maneira: observamos algo desconhecido, manipulamos, organizamos, classificamos e utilizamos esse conhecimento em situações novas", explica Maria Ângela Barbato Carneiro, professora da faculdade de Educação da PUC-SP.

Por meio de uma brincadeira, por exemplo, a criança pode aprender habilidades sociais que serão fundamentais na vida adulta. "Na brincadeira a criança fica ativa tanto mentalmente quanto fisicamente. É uma forma de ela interagir, aprender a seguir regras, contestar e desenvolver autonomia", diz Maria Ângela, que também coordena o núcleo de cultura e estudos do brincar da PUC-SP. É por isso que, durante as férias, também é possível aprender muito - seja em viagens, seja em passeios na própria cidade, seja em casa: lendo um livro ou jogando cartas com os amigos. Em sala de aula, o aprendizado passa por um planejamento, fora dela acontece naturalmente, é absolutamente informal, mas não menos importante. "Não é só indo na escola que se aprende. Crianças e jovens podem aprender com avós, tios e até mesmo entre eles", diz a professora.

Os pais, por sua vez, têm um papel fundamental na aprendizagem dos filhos. "Ouvir músicas juntos, ler livros, andar de bicicleta, além de ensinar, estabelece vínculos maiores entre pais e filhos", diz Maria Ângela Barbato Carneiro. Dependendo da abordagem usada pelos pais, uma visita ao museu pode ser muito divertida. "Não podemos adotar um discurso chato e professoral na hora de levar crianças e jovens a cinemas, museus e teatros. É preciso associar esses programas ao lazer", diz Verônica Dias, professora de cinema e televisão da PUC. O segredo é respeitar o tempo do jovem e da criança.

À medida que o jovem vai criando um repertório, é legal oferecer mais diversidade, sem forçar nada, é claro. Se ele só comer arroz e feijão não saberá que gosta de macarrão. A única maneira de alguém descobrir se gosta de uma atividade é experimentando. "As pessoas só se interessam por aquilo que têm contato. A criança e o jovem não vão gostar de livros, museus e filmes se não forem apresentados a esse universo", diz Verônica Dias, professora de cinema e televisão da PUC.

Mas espera aí? Férias não são para descansar? O descanso não é importante para a mente relaxar e ficar pronta para novos conteúdos? "Sim, a criança nas férias também tem de brincar, ficar em casa e com os amigos", diz Luciana Fevorini, coordenadora pedagógica do ensino fundamental e médio do Colégio Equipe. Mas há crianças que têm energia demais pra ficarem paradas. O mais importante nesse período é não forçar a nada e deixá-las escolher o que vão fazer. Dessa maneira, elas poderão aproveitar e aprender mais. 

Redes sociais, as novas parceiras de estudo

Redes sociais, as novas parceiras de estudo

Reblogado de http://canaldoensino.com.br/blog/redes-sociais-as-novas-parceiras-de-estudo

Escolas usam Facebook  e até criam sites próprios para conectar alunos e professores.
Twitter e Facebook  costumam ser considerados inimigos dos estudos por muita gente. Mas algumas escolas já estão se rendendo às redes sociais e as usando como aliadas na preparação dos estudantes e na comunicação entre alunos e professores.
A Escola Parque, na Gávea, desenvolveu, no início do ano passado, a EP2, uma rede social interna semelhante ao Facebook. O projeto foi criado dentro da plataforma Ning, que permite a qualquer um customizar uma rede de acordo com suas necessidades. Na EP2, estudantes a partir do 6 ano podem escrever em seus murais, enviar mensagens diretas e participar de grupos de interesses específicos. O espaço virtual é coabitado por alunos e professores.
O coordenador do segundo segmento do ensino fundamental da escola, Giocondo Magalhães, explica que a ideia é educar os mais novos para as possibilidades de uso e também sobre os perigos das redes. Além de ser mais um espaço de difusão do conteúdo das disciplinas e dos trabalhos escolares.
— Ninguém ensina para eles como atuar nos meios digitais. O que a gente tenta é ajudá-los a tirar um uso pedagógico disso. Já acontecia de um professor colocar conteúdo sobre a disciplina no Facebook, como um vídeo do YouTube. Nossa ideia foi trazer essas experiências para um ambiente seguro, que fosse uma extensão virtual da escola. Além de não ter a limitação de idade de redes como o Facebook (que só aceita usuários maiores de 13 anos, o que é largamente burlado) — afirma o professor.
Professores ficam alertas para evitar cyberbullying
Os estudantes tiveram voz ativa na criação da EP2, apontando os recursos que julgavam mais importantes. E a participação rendeu frutos, pois os alunos abraçaram a ideia. Eles contam que, na rede, compartilham fotos e vídeos, além de usar a ferramenta de bate-papo e, principalmente, tirar dúvidas com professores.
— Uso bastante a EP2 para falar com os professores. Eles tiram dúvidas das matérias, é muito bom. Parece que eles ficam lá o dia inteiro, sempre estão on-line — conta Tamara Castorino, de 12 anos, que vai começar o 8 ano.
O coordenador afirma que os estudantes têm liberdade para postar e criar grupos de acordo com seu interesse. Na rede, é possível encontrar alguns dedicados a ídolos adolescentes, como Justin Bieber, e a times de futebol, como o Botafogo. Contudo, ele diz que há uma supervisão para evitar qualquer tipo de cyberbullying.
— Há uma questão de ética nas redes que a gente trabalha com eles. Ali, estão valendo os mesmos valores da escola. Discutimos com eles tudo ligado à discriminação e continuamos de olho para evitá-la — diz.
No Colégio Palas, no Recreio, a vontade da integração resultou na criação de um grupo no Facebook da turma do 3 ano do ensino médio, exclusivo para para alunos e professores da escola. Foi lá que eles passaram o ano passado trocando informações sobre datas de inscrição em vestibulares, resultado de provas do colégio e de seleções da universidades Além de tirar dúvidas das lições de casa e postarem vídeos e reportagens sobre os assuntos que viram em sala de aula.
— Os estudantes usam muito e há professores engajados também. A gente valoriza, mas $ão prioriza. Eles estudam com o grupo, vão trocando informações entre si. E dessa maneira funciona. Além disso, tem um fator motivacional também: um dá força para o outro o tempo todo — afirma Célia Regina, coordenadora da escola.
A professora Eloiza Gomes de Oliveira, da Faculdade Educação da Uerj, e pesquisadora do uso das redes sociais na educação, é a favor da escola usá-las como ferramentas pedagógicas. Mas alerta que é preciso seguir alguns passos para que o projeto dê certo e conte com a efetiva participação dos estudantes.
— As redes são um espaço de liberdade para os adolescentes, são um lugar para eles se expressarem. Quando a escola entra, não é a mesma coisa. Os alunos temem ser policiados, então é preciso ser muito transparente na relação. É preciso garantir a autonomia $estudante para que a dinâmica possa acontecer. O professor dá o pontapé inicial, mas não pode engessar a experiência — defende ela, que descarta a possibilidade de o uso das redes sociais provocar distração. — Quando eles fazem um trabalho em grupo, não estudam o tempo inteiro. Eles conversam, jogam. Isso não é uma coisa da internet, é natural do próprio jovem.
Grandes grupos internacionais de educação, voltados principalmente para cursos de inglês e preparatórios para a universidade, também miram no chamado "social learning". O conceito pretende levar interatividade e a colaboração, base da chamada web 2.0, para o centro do processo de aprendizado.
A EmbassyCES, braço de idiomas do Study Group, montou o portal Study Smart. Nele, o foco é no aprendizado do aluno fora de sala de aula. Estão disponíveis exercícios interativos e o plano de aula para cada semana. Assim, o estudante pode acompanhar o seu progresso e até acelerar sua troca de nível. A Study Smart aposta também na interatividade: os próprios estudantes criam glossário de termos para as unidades do livro e ainda podem fazer grupos de estudo em salas de bate-papo.
Já a Kaplan International lançou em 2011 um projeto piloto, o Student Portal, implantado em uma escola em Londres e outra em Sydney, na Austrália. O formato é bem parecido com o do Facebook, com timeline, chat e mensagens privadas. Por enquanto, ele é usado principalmente por estudantes estrangeiros que ainda vão chegar aos cursos e aproveitam para se conhecer melhor. Há uma seção também que permite se inscrever nos passeios oferecidos pela escola no seu tempo livre, como idas a partidas de futebol ou museus.
A ideia é, no futuro, integrar totalmente a rede social à plataforma de ensino virtual já existente. Atualmente, a conexão é feita apenas através de um blog. Para o diretor-geral da Kaplan no Reino Unido e Irlanda, Erez Tocker, a proposta é aproveitar o tempo que os jovens já passam conectados.
— Eles passam muito tempo conectados, especialmente no Facebook. Então, a ideia é que o portal seja o nosso próprio Facebook e que eles passem mais tempo lá. Não podemos virar às costas para o que já está acontecendo — argumenta Tocker.
Fonte: O Globo

20 de dez de 2012

Desenhos para colorir Natal - parte 3

natal para colorir - Frases e Imagens










Desenhos de Natal para Colorir parte 2






O melhor presente que você pode dar à uma criança é manter viva sua imaginação e criatividade!

Presentes de Natal

As 50 melhores aplicações educativas gratuitas para iPad


Um guia com mais de meia centena de aplicações gratuitas para o tablet da Apple, que cobrem a maioria das áreas curriculares e o trabalho docente.
Algumas das aplicações gratuitas são versões limitadas de aplicações pagas, mas são todas funcionais e passíveis de ser usadas em contextos de ensino-aprendizagem. Inclui algumas aplicações produzidas em Portugal (Pordata, Diciopédia…), apesar da presença residual de recursos educativos em português na loja da Apple.

82% dos alunos usam o smartphone para tarefas da escola [infográfico]



smtphÉ um dos dados em evidência neste infográfico do OnlineDegrees.com. Outro dado interessante é a impopularidade da aplicação iBooks, o que não significa que os alunos não usem o smartphone para ler, pois 65% utilizam-no para ler notícias na web ou mediante uma aplicação.
De acordo com estes dados, 53% dos alunos americanos têm um smartphone, números que não devem andar distantes da realidade portuguesa.
Mobile Lives of Online Colleges
Via OnlineDegrees.org

Vamos acordar professor! Não existe só uma maneira de ensinar!


Vamos acordar professor! Não existe só uma maneira de ensinar!

Miriam de Jesus Silva
10 de dezembro de 2012



08122012083614lib.jpg
Diversidade
Nós professores muitas vezes caímos no comodismo de uma única teoria, um único método de ensinar. Várias escolas escolhem uma teoria, uma metodologia e propagam aos quatro cantos que essa é a nossa maneira de ensinar. Dizem que não pode isso, não pode aquilo e nossas crianças sofrem brutalmente as consequências dessas escolhas.

Precisamos ser mais reflexivos e flexíveis nesse modo de olhar. Cada dia mais nossas salas de aula estão repletas de diversidades e sendo assim como podemos ser capazes de mediar o conhecimento de um único jeito?

Uns dizem – vamos usar o recurso das boquinhas ao ensinar pelo método fônico – outros dizem, não podemos.

Outros expressam não podemos usar o ba- be- bi- bo – bu, vamos limitar nossas crianças. Temos ainda que, precisamos do concreto para ensinar, do lúdico, da afetividade, da música e não sei lá mais o quê?

Acredito que um bom profissional numa escola de qualidade, sabe trabalhar com todas essas teorias, métodos, e recursos e enriquece seu jeito de ensinar e aprender com as teorias, métodos e recursos que sua sala de aula apresenta necessidade.

Muitas vezes o nosso aluno não aprende, porque o jeito que nós ensinamos não alcança a necessidade que ele apresenta. Isso é muito triste.

Precisamos deixar de representar que a nossa escola trabalha com a melhor teoria, o melhor método e os melhores recursos, deixar de competir com a escola vizinha e pensar mais nas necessidades apresentadas por nossos alunos em sala de aula.

Ou você educa porque quer o melhor para o seu aluno ou ensina só para aqueles que se enquadram no seu jeito de ensinar!


Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO - Cursos Online : Mais de 900 cursos online com certificado 
http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/23430/vamos-acordar-professor-nao-existe-so-uma-maneira-de-ensinar#ixzz2FaMEP1ZD

CAMPANHA DO BANCO ITAÚ DISTRIBUI LIVROS GRÁTIS PARA INCENTIVAR A LEITURA DE CRIANÇAS


CAMPANHA DO BANCO ITAÚ DISTRIBUI LIVROS GRÁTIS PARA INCENTIVAR A LEITURA DE CRIANÇAS

O Itau realmente envia os livros para quem solicitar! São muito bonitos!

A criança que lê aprende melhor, se comunica de maneira mais eficiente, tem mais proximidade com o mundo da escrita, desenvolve mais repertório e tem mais chances de se tornar um adulto leitor, preparado para o trabalho e para a vida.

Incentivar que as crianças leiam é tarefa dos adultos, sobretudo pais e professores. Pensando nisso, o Itaú lança hoje a sua campanha nacional de incentivo à leitura. “É um convite: leia para uma criança”, explica Márcia Quintino, coordenadora de Mobilização Social da Fundação Itaú.

Apenas 37% dos brasileiros costumam ler para crianças diariamente, embora 96% das pessoas acredite que a leitura é importante para os pequenos, segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Itaú Social em parceria com Datafolha.

A campanha pretende promover uma sensibilização para a importância da Educação e serão oferecidos 7 milhões de livros das Coleções Itaú de livros infantis. Qualquer pessoa interessada em aderir à campanha pode pedir os livros pelo site www.itau.com.br/itaucrianca. Em até 20 dias, o pedido será enviados pelos correios para todo o país, e então é só escolher um livro e ler para as crianças. A Coleção inclui os títulos: Lino, de André Neves (Editora Callis); Poesia na varanda, de Sônia Junqueira (Editora Autêntica); e O ratinho, o morango vermelho maduro e o grande urso esfomeado, de Don e Audrey Wood (Editora Brinque-Book).

Além disso, os próprios funcionários do Itaú irão realizar ações de mediação de leitura em ONGs, bibliotecas comunitárias e creches ao longo dos meses de outubro e novembro. Seis mil Bibliotecas Itaú Criança, cada uma com 100 títulos para o público adulto e infanto-juvenil, serão oferecidas às organizações onde acontecerão essas ações.


Fonte: Educar Para Crescer / Banco Itaú

19 de dez de 2012

Natal segundo o Espiritismo

Natal segundo o Espiritismo

Demétrio Pavél Bastos
Retornando o pensamento aos dias de criança, que já se colocam algo distantes, revejo as cenas dos natais que meus queridos pais me ofereceram: o necessário presépio, a árvore com os presentes e o indispensável Papai Noel... Eram expressões de seu amor para comigo; e como se esmeravam para que nenhum colorido faltasse ao mundo de fantasias de minha infância ! A proporção que o peso dos anos me vai vergando os ombros, mais e mais admiro o quanto representaram para mim.
Eles nunca esperavam gestos meus, ou palavras, de reconhecimento, pelo bem que me faziam; a recompensa de quem ama é a felicidade—e não a gratidão - dos entes queridos. Mesmo assim, rudemente intelectualizado, uma espécie de remorso me sobe à garganta, a se expressar nos olhos úmidos. A sabedoria dos pais consiste na paciência da espera de que o fruto-filho amadureça e compreenda, de forma tal que a paternidade termina por ser um prêmio por antecipação que o Pai Maior outorga a cada ser-filho, a exercitá-lo para tarefas de maior envergadura.
Mais tarde, espírita já, meus filhos não conheceram nem o presépio, nem a árvore de Natal, nem o velhinho Noel; só os presentes e as guloseimas persistiram. Em compensação, subiam morro acima comigo, juntamente com a "Mocidade Espírita João de Deus", a distribuir com "os menos afortunados da sorte", como se diz, um pouco do que nos sobrava... Aquela magia que minha infância conheceu, eles não viveram; forjavam-se noutra têmpera, de acordo com os talentos que recebi. Te-los-ei plantado bem ?
E, no escoar dos anos que se sucedem, vou acompanhando, de um lado, a progressiva massificação do conceito de que festejar o Natal é dar presentes (geralmente inúteis), é fazer festas; por outro lado, no seio do Movimento Espírita, a prudente e natural implantação de um Natal à moda espírita, num fatal aprimoramento do que reza a tradição, se vem firmando.
25 de dezembro é um pretexto mais do que bom para se reconciliarem irmãos; para se reexaminarem projetos que visem crescimento espiritual; para se vibrar intensamente a luz do Amor Universal; para se programar um Natal-Permanente.
Exemplifiquem os pais para os filhos que Natal não é dia de se cumprirem obrigações sociais, mas data convencionada para uma tomada de posição, rumo à vivência de 365 dias por ano, dos postulados da Doutrina Espírita e da sabedoria do Evangelho de JESUS !
Ajudemos a se consolidar O NATAL, SEGUNDO O ESPIRITISMO!

link original: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/diversos/natal/natal-segundo-o-espiritismo.html

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!