4 dicas para criar cursos imersivos

Mostrando postagens com marcador ensino médio. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ensino médio. Mostrar todas as postagens

20 de fev de 2014

Escola da Família oferece bolsas de R$ 392 para alunos atuarem como empreendedores

Escola da Família oferece bolsas de R$ 392 para alunos atuarem como empreendedores

Categoria
Jovens do Ensino Médio podem se inscrever na seleção até 27 de fevereiro
Estão abertas as inscrições para os alunos do Ensino Médio interessados em atuar como empreendedores nas escolas estaduais que integram o programa Escola da Família. São oferecidas 1,5 mil bolsas no valor de R$ 392.
Siga a Secretaria da Educação no Twitter e noFacebook
As inscrições devem ser realizadas, até às 18h do dia 27 de fevereiro, por meio do site da Fundação do Desenvolvimento Administrativo (FUNDAP), para o processo seletivo para estagiar em diversos órgãos do setor público. Após aprovação no processo o candidato poderá ser selecionado para atuar no projeto ou ainda em outro programa de estágio oferecido nesta seleção unificada.
- Faça aqui sua inscrição
- Consulte aqui o edital
A lista com as inscrições confirmadas será publicada no dia 28 de fevereiro. No dia 18 de março, serão divulgados os locais da prova, que acontece às 13h do dia 23 do mesmo mês. O exame, que terá duração de três horas, será composto por 30 questões de múltipla escolha. A classificação final dos candidatos será divulgada no dia 4 de abril.
Atividades
A carga horária do aluno empreendedor é de 12 horas, sendo 6 horas no sábado e outras 6 no domingo.  A bolsa tem duração de um ano, podendo ser prorrogada por mais um ano. Para participar, os alunos passam por um processo de classificação. Após a convocação, os alunos empreendedores são encaminhados às unidades do programa de seus municípios de origem. É dada a preferência para que os jovens atuem nas unidades em que estudam.
O projeto Aluno Empreendedor estimula os adolescentes a desenvolverem ações nas unidades de ensino que abrem aos finais de semana para a comunidade. Os participantes ficam responsáveis por criar e comandar ações gratuitas sociais, culturais e esportivas, entre outras atividades, aos sábados e domingos, nas unidades escolares.
Atualmente, as escolas da família já contam com 640 alunos empreendedores. A nova turma deve começar a atuar a partir de março.
  • Foto: A2 Fotografia / Guilherme Lara Campos
    O Programa Escola da Família comemora 10 anos de atividades em 2,3 unidades abertas aos finais de semana
  • Foto: Guilherme Lara Campos / A2 Fotografia
    O Programa Escola da Família comemora 10 anos de atividades em 2,3 unidades abertas aos finais de semana

SEE- SP - Inscrições para curso Espanhol Online continuam abertas. Não perca!

Inscrições para curso Espanhol Online continuam abertas. Não perca!

Categoria
Estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental, Ensino Médio e EJA podem participar
A Educação oferece, neste primeiro semestre, 12,5 mil vagas do curso de espanhol online para estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental, do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos da rede estadual de ensino. As inscrições podem ser feitas até o dia 8 de março e as aulas terão início no dia 24 do mesmo mês.
- Faça aqui sua inscrição
As aulas virtuais são ofertadas pela Educação por meio de parceria com a Universia Brasil. As inscrições podem ser feitas aqui e as matrículas são realizadas por ordem de inscrição.
No total, o curso que será acessado na plataforma da Universia Brasil, é formado por 10 módulos. Cada módulo é disponibilizado quando o estudante atingir 80% de acerto na avaliação do módulo anterior. A carga horária é de 60 horas e o conteúdo pode ser acessado em qualquer lugar, a partir de qualquer computador, inclusive nas salas do Acessa Escola, programa de inclusão da Secretaria.
Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook
“Ampliar a oferta de idiomas é uma das ações educacionais prioritárias da Educação, que conta com 224 Centros de Estudos de Línguas que oferecem até sete idiomas diferentes. Pela Evesp, um dos programas inovadores da Secretaria, nossos alunos e servidores também têm acesso ao curso de inglês online, também disponível de forma gratuita por meio de um ambiente virtual”, lembra o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

Sobre a Evesp
Além dos cursos de espanhol e de inglês online, a Evesp oferece aulas preparatórias para o vestibular, um curso inédito de Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS) voltado a estudantes surdos e ouvintes e também diversos jogos online, feitos em parceria com a Defesa Civil, que auxiliam de forma lúdica os adolescentes a prevenirem acidentes domésticos e enchentes.
  • Foto: A2 Fotografia/ José Luis da Conceição
    Alunos
  • Foto: A2 Fotografia/ José Luis da Conceição

9 de set de 2013

Educação de Jovens e Adultos: uma "educação para além do capital"



Educação de Jovens e Adultos: uma "educação para além do capital"

Embora o Brasil passe por um processo de crescimento econômico, ainda convivemos com uma grande desigualdade social. Este quadro reflete nos índices do Pnad (2011)
 
Dulcinéia de Fátima Ferreira Pereira 

Há exatamente um ano atrás os jornais anunciaram que "A pesquisa Pnad 2011 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) apontou que 19,2 milhões de brasileiros, com mais de dez anos de idade, não têm instrução ou estudaram menos de um ano. Que entre as pessoas com 15 anos ou mais, a taxa de analfabetismo é de 8,6% - o que representa 12,9 milhões de brasileiros." (21/9/ 2012 na UOL.com.br) 

Embora o Brasil passe por um processo de crescimento econômico, ainda convivemos com uma grande desigualdade social. Este quadro reflete nos índices do Pnad (2011). 

Durante muitos anos a EJA ficou à margem dos debates relacionados à Educação Nacional. Após a criação do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica), no governo Lula, pudemos acompanhar uma mudança na rota das políticas públicas para a Educação de Jovens e Adultos. 

Ao incluir a EJA no sistema de financiamento da educação, o Governo Federal reconhece a educação como um direito de todos, independente da idade. Esta opção contribuiu para a criação de vários programas vinculados à Secadi (Secretraria de Educação Continuada Alfabetização, Diversidade e Inclusão) como: Programa Brasil Alfabetizado, Proeja, Projovem Urbano, Educação nas prisões. 

No entanto, não podemos nos esquecer de que analfabetismo e baixa escolaridade estão associados à desigualdade social e econômica e que, portanto, somente as pessoas pobres precisam da EJA. A meu ver, neste caso, a justiça não se faz apenas com a garantia da oferta de vagas aos jovens e adultos, historicamente excluídos da escola. 

De onde vem o meu incomodo e questionamento sobre o investimento na EJA com fortes vínculos com o mercado? 

A educação é um território de formação humana no sentido mais amplo que isto quer dizer. Na medida em que se vincula a EJA a cursos profissionalizantes, mais uma vez produzimos a exclusão, pois atuamos a favor do capital. Impedimos que jovens e adultos tenham em seu processo de formação o contato com as diversas linguagens artísticas (literatura, teatro, artes plásticas, música), com a filosofia, as ciências sociais, com experiências no campo da convivência. 

A meu ver precisamos de uma educação do jovem e do adulto, que vá além da instrumentalização técnica como preparação de mão de obra barata para o mercado. Podemos criar uma educação que considere as dimensões da vida: sobrevivência, convivência e revivência. Que produza fissuras, rupturas na lógica instituída. Mészáros chamou de uma educação "para além do capital". 

Bauman, Santos, Adorno, Freire, dentre outros, seguem dizendo que a educação que faz sentido, é aquela que nos auxilia na mudança de rota, que acorda a inquietação e indignação nos jovens. Reafirmam a necessidade de recuperarmos o inconformismo, pois a dor e o sofrimento humano estão sendo naturalizados. Na lógica do capital, o esquecimento, o individualismo e o conformismo são essenciais. 

Paulo Freire, também já dizia que educação não poderia ser vista apenas como ferramenta para a transmissão de conhecimentos e reprodução das relações de poder, mas sim como um ato político de libertação e emancipação das pessoas. Ele sempre enxergou, na relação pedagógica, uma ação política, como um movimento de criação e recriação humana. 

Considerar o educando como sujeito ou como objeto do processo, faz uma grande diferença na vida das pessoas e na reinvenção do mundo. Investir em políticas públicas de EJA atrelada à "qualificação" profissional é, de certa forma, a repetição da história. O nosso desafio é pensar a EJA como uma "educação para além do capital", como um movimento de criação. 

O Governo Federal poderia ser um pouco mais ousado e expandir a proposta do Programa Mais Educação para a EJA. Assim, os educandos e educandas poderiam optar por se envolver em atividades optativas "agrupadas em macrocampos como acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica." (Mais Educação, 2013) . 

Repensar a EJA nestes termos implica também em investir em propostas formação do professor/educador de jovens e adultos inspiradas nas práticas de educação popular para além da mera escolarização. 

Dulcinéia de Fátima Ferreira Pereira é licenciada em Pedagogia, mestre e doutora em Educação pela FE-Unicamp. professora-adjunta da UFSCar-Sorocaba - Departamento de Ciências Humanas e Educação (DCHE) - membro do Grupo de Pesquisa Educação Comunidade e Movimentos Sociais (Gecoms) e-mail: dulceferreira@ufscar.br

1 de ago de 2013

Você sabe qual o objetivo da reunião de pais e professores?

Você sabe qual o objetivo da reunião de pais e professores?

Com o retorno das aulas, os encontros pedagógicos voltam para a fazer parte da rotina dos pais. Saiba por que é importante participar e como agir nessas ocasiões

Raquel Paulino - especial para o iG São Paulo 

Getty Images
Saber que os pais vão às reuniões deixa os filhos mais seguros e com a noção de que seu desenvolvimento realmente tem importância

O interesse pela educação de crianças e adolescentes é o elo mais forte que pode existir entre pais e escola. Por isso, reservar na agenda o horário das reuniões convocadas pela instituição de ensino e ir a elas preparado para participar é uma tarefa fundamental ao longo dos anos de formação escolar dos filhos.
“Trata-se de uma oportunidade para entender melhor o clima organizacional do local onde eles estudam, conhecer os professores. As reuniões pedagógicas ajudam a desmitificar a escola e a aproximar pais e docentes”, afirma Dóris Trentini, coordenadora pedagógica do ensino médio do Colégio Anchieta.
Essa aproximação abre espaço para a troca de informações sobre como a educação é conduzida em cada ambiente. “É necessário alinhar o discurso entre casa e escola. Se uma puxa para um lado e a outra, na direção oposta, a criança ou o adolescente ali no meio sofre”, explica Silvana Nazário, coordenadora pedagógica da educação infantil do Colégio Marista Rosário. Júlia Lázaro, psicopedagoga do Colégio Notre Dame Ipanema, complementa: “A formação de uma pessoa é um processo que não tem fim. A família começa e a equipe do colégio dá continuidade, como um reforço. Todos trabalham juntos para que os estudantes tenham o melhor acompanhamento possível”.

Veja também:
Saiba como escolher a mochila certa para o seu filho Confira uma galeria com mais de 50 opções de mochilas para crianças e adolescentes
Além disso, saber que os pais vão às reuniões deixa os filhos mais seguros e com a noção de que seu desenvolvimento realmente tem importância. “As crianças gostam de ver seus pais na escola e ficam felizes quando eles vão às atividades a que são convocados. A participação dos adultos é um dos fatores primordiais para a boa educação infantil”, diz a consultora de boas maneiras Sofia Rossi.
Há que se lembrar que, para aproveitar ao máximo as reuniões, é preciso se comportar de maneira adequada à situação. Confira um pequeno guia, baseado em dicas das quatro profissionais, do que se deve fazer e o que é preciso evitar nesses eventos escolares.
Procure:
- Participar da reunião do começo ao fim.
- Levar suas dúvidas anotadas em um bloco ou caderno, para poder esclarecer todas e não correr o risco de se lembrar de alguma delas no caminho de volta para casa.
- Escutar até o fim eventuais críticas feitas ao seu filho e só então, com calma, argumentar e pedir sugestões de como melhorar o desempenho dele.
- Aceitar com naturalidade elogios feitos ao desempenho de seu filho.
- Usar linguagem adequada para um diálogo sério sobre a educação das crianças.
- Esperar o fim da reunião para falar com o professor sobre alguma questão particular do desempenho do seu filho.
- Abordar o pai ou a mãe de alguma criança com quem seu filho possa ter algum problema de relacionamento após o fim da reunião e com o intermédio do professor.
- Deixar o celular no modo silencioso.
- Contribuir com o relato de alguma experiência caso o condutor da reunião solicite diretamente que você o faça.
Evite:
- Chegar depois do começo ou ir embora antes do fim da reunião. Isso atrapalha seu andamento e demonstra falta de interesse pela educação da criança.
- “Atropelar” quem estiver com a palavra para fazer um comentário ou uma pergunta, mesmo que seja relacionado ao assunto. Espere uma brecha ou levante o braço como indicação de que gostaria de falar na sequência.
- Bater boca com o professor por causa de alguma crítica que tenha sido feita ao seu filho.
- Prolongar o assunto, depois de o professor já tê-lo encerrado, quando seu filho for elogiado. Isso é inconveniente e passa uma imagem arrogante.
- Usar muitas gírias ou palavrões ao se dirigir ao professor e a outros pais.
- Interromper a reunião para falar diretamente com o professor sobre algum assunto particular de seu filho ou de sua família.
- Abordar agressivamente, na reunião ou após seu final, o pai ou a mãe de alguma criança com quem seu filho possa ter algum problema de relacionamento.
- Atender o celular, acessar a internet ou mandar mensagens durante a reunião.
- Reclamar de problemas não pedagógicos da escola (o estacionamento ou a falta dele, por exemplo). Não se esqueça: o foco dessas reuniões é o ensino.
- Tentar alterar a ordem pré-determinada dos assuntos para chegar logo àquele que interesse mais a você.
- Levar presentes para o professor, a não ser que a reunião seja realizada em uma data festiva.
- Travar uma conversa paralela com pais sentados ao seu lado enquanto outra pessoa fala. 

17 de mai de 2012

Rio sediará olimpíada internacional de astronomia e astrofísica em agosto Competição vai reunir estudantes do ensino médio de todo o mundo

Rio sediará olimpíada internacional de astronomia e astrofísica em agosto

Competição vai reunir estudantes do ensino médio de todo o mundo

8 de maio de 2012




Poster oficial da   Olimpíada de Astronomia e Astrofísica (Foto: Divulgação)
Poster oficial da Olimpíada de Astronomia e Astrofísica (Foto: Divulgação)
O Rio de Janeiro será sede em agosto da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), primeira competição científica de alcance mundial realizada no país. Reconhecida pela União Astronômica Internacional (IAU), a competição vai acontecer de 4 a 14 de agosto e envolver estudantes de ensino médio de todo o mundo. No Brasil, os estudantes são selecionados a partir da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), disputada anualmente desde 1998.



Todos os estudantes competem nas três modalidades de prova: observacional, na qual demonstram seus conhecimentos sobre o céu que podemos ver; teórica, na qual resolvem problemas de astronomia e astrofísica; e, finalmente, a prova prática, em que utilizam e interpretam dados como um astrônomo profissional.


Mais informações podem ser obtidas no site www.ioaa2012.ufrj.br.


Olimpíada Brasileira será na próxima sexta
A prova da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) será realizada nesta sexta-feira (11). Podem participar alunos dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas e privadas, urbanas e rurais, de todo o país.
Em 2011, a olimpíada distribuiu 33.307 medalhas e reuniu 803.180 alunos de 9.153 escolas de todas as regiões do país, envolvendo 64.890 professores. A expectativa, esse ano, é atingir a marca de 1 milhão de estudantes.
As provas serão divididas em quatro níveis distintos, de acordo com a escolaridade. Cada exame será constituído de dez perguntas: cinco de astronomia, três de astronáutica e duas de energia. "As questões serão, em sua maioria, de raciocínio lógico", diz o astrônomo e coordenador nacional da OBA, João Canalle.


Os estudantes mais bem classificados vão integrar as equipes que representarão o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica, de 2013.

Fonte: Globo.com

Brasil tem maior taxa de reprovação no ensino médio desde 1999

Brasil tem maior taxa de reprovação no ensino médio desde 1999

No mesmo ano, a reprovação no ensino fundamental foi de 9,6%
in: http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/noticias/52933/brasil-tem-maior-taxa-de-reprovacao-no-ensino-medio-desde-1999
16 de maio de 2012



Brasil tem maior taxa de reprovação no ensino médio desde 1999
Brasil tem maior taxa de reprovação no ensino médio desde 1999
Em 2011, 13,1% de todos os estudantes matriculados em algum ano do ensino médio estavam repetindo a mesma série feita em 2010. A taxa de reprovação no ensino médio, incluindo tanto a rede pública quanto as escolas particulares, foi divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) na tarde de segunda-feira (14) em seu site, com base nas informações do Censo Escolar 2011.



Esse é o pior índice desde 1999, primeiro ano com dados disponíveis no site do Inep. Entre 2006 e 2007, o órgão alterou a metodologia e adotou a taxa de rendimento em vez de índices de evasão escolar. Porém, o número de alunos repetentes no ensino médio, que desde 2007 oscilava em cerca de 12%, acabou sofrendo um leve salto depois de cinco anos. O G1 procurou a assessoria de imprensa do órgão para perguntar o motivo desta tendência, mas ainda não obteve resposta.


Os estados com maior índice total de reprovação no ensino médio são Rio Grande do Sul (20,7%), Rio de Janeiro (18,5%) e Distrito Federal (18,5%), Espírito Santo (18,4%) e Mato Grosso (18,2%).


A rede municipal de ensino na região urbana de Belém, no Pará, foi a que apresentou o maior índice de reprovação do país: 62,5% seguida pela rede federal na zona rural do Mato Grosso do Sul, com 40,3%.


Os estados com menores taxas de repetição são Amazonas (6%), Ceará (6,7%), Santa Catarina (7,5%), Paraíba (7,7%) e Rio Grande do Norte (8%).


Taxa de abandono
Os dados sobre o rendimento dos estudantes é dividido em quatro categorias: taxa de aprovação, taxa de reprovação, taxa de abandono e taxa de não-resposta (TNR), composta matrículas que não se encaixam nas outras categorias por falta de informação nas escolas.


Apesar do aumento na taxa de reprovação, o índico de abandono no ensino médio vem caindo de maneira constante: em 2007, 13,2% dos estudantes que estavam no ensino médio em 2006 haviam desistido de estudar, enquanto em 2011 o número de desistentes em relação a 2010 foi de 9,6%.


Ensino fundamental
Em 2011, segundo o Inep, o ensino fundamental teve taxa de reprovação de 9,6%. Os estados com maior índice total de reprovação neste ciclo do ensino básico são Sergipe (19,5%), Bahia e Alagoas (15,2%), Rio Grande do Norte (14,9%) e Rondônia (14,2%). A rede estadual de Bahia e Sergipe também têm os piores indices do país: 26,6% e 22,5%, respectivamente entre as escolas na zona urbana.


Os estados com menores taxas são Mato Grosso (3,6%), Santa Catarina (4,4%), São Paulo (4,9%), Minas Gerais (7,3%) e Goiás (7,6%).

Fonte: Globo.com

14 de mai de 2012

ONU premia jovens empreendedores sociais

ONU premia jovens empreendedores sociais

11/05/12 //  //  

Empreendedores sociais, com idade entre 18 e 25 anos, que tenham ideias inovadoras ou que já estejam tocando algum trabalho de impacto social podem participar do Concurso Jovens Inovadores. O prêmio é realizado pela ITU Telecom World (União Internacional de Telecomunicações, em inglês), ligada à ONU (Organização das Nações Unidas).O tema do concurso é Inovação para Desenvolvimento da Juventude e as 12 melhores iniciativas serão premiadas com até R$ 20 mil.  Poderão ser enviados trabalhos que envolvam alguma das oito áreas definidas pela organização: segurança cibernética, educação, empoderamento das mulheres, sustentabilidade ambiental, assistência médica, direitos humanos, transparência e emprego para jovens. As inscrições são submetidas em inglês e devem ser feitas até o dia 1o de julho.

crédito Maksym Filipchuk / Fotolia.com
ONU premia jovens empreendedores

Além do prêmio em dinheiro, os vencedores vão participar da ITU Telecom World, principal evento de criação de redes e intercâmbio de conhecimento da área, que acontece de 14 a 18 de outubro, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.
Os vencedores também vão ter acesso a uma rede de tutores, com apoio contínuo por mais de um ano para que se seus projetos sejam bem sucedidos. Além disso, eles serão convidados a participar de uma comunidade de jovens inovadores e deverão fornecer atualizações regulares sobre o andamento de suas propostas.

boo1

Postagens mais visitadas

Ajude a ciência brasileira com o tempo ocioso de seu computador - participe do World Community Grid!